Os alunos do ensino médio e das faculdades escutam muitas palestras motivacionais que os orientam a perseguirem o que amam. Isso fará com que o sucesso seja uma simples consequência de sua dedicação.

Porém, na realidade nem sempre é isso que acontece. Se a área com a qual você tem afinidade enfrenta um declínio devido às tecnologias, perseguir esse objetivo pode até render frutos, mas será uma trajetória mais árdua e se manter empregado e ganhar um salário razoável podem ser grandes desafios.

Os especialistas de publicações especializadas, como Forbes, por exemplo, são categóricos ao afirmar que é preciso adotar uma postura diferente. Em vez de investir em sua grande paixão, é preciso buscar desenvolver afinidade por uma atividade que você tenha potencial para fazer bem. No momento de avaliar, leve em conta também aquelas que pagam bons salários e que tenham previsão de gerar muitas vagas pelos próximos anos. Assim, ao invés de viver perseguindo uma oportunidade é muito possível que você tenha empregadores procurando constantemente por você.

Como avaliar se é uma boa carreira?

Um bom emprego será capaz de entregar um conforto razoável à sua vida. Ainda que em início de carreira, o salário deve permitir pagar todas as suas contas, além dos pequenos luxos, sem deixar de lado a economia para criar sua reserva de emergência.
Na medida em que sua experiência avança, sua renda também deverá crescer para que você possa cumprir objetivos financeiros de longo prazo, pagar seus investimentos em sua educação continuada e possa adquirir bens, como uma casa, e ainda colocar seus filhos em uma boa faculdade, se aposentar, etc.

No entanto, hoje as famílias de classe média possuem mais de uma fonte de renda. Isso significa que você não precisa ganhar tanto em um único emprego – desde que ele possibilite espaço e tempo para que você consiga conciliar mais de uma atividade em paralelo.

Requisitos

Muitos empregos com bons planos de carreira e perspectivas ​de ganhos exigem um diploma universitário ou algum curso superior equivalente. Isso pode estar acima da capacidade financeira de muitos jovens, criando até mesmo endividamentos antes mesmo de que se tenha a chance de começar sua vida profissional. Mas hoje esse quadro começa a se transformar: há carreiras que remuneram muito bem diante de qualificações não necessariamente acadêmicas e que possibilitam crescimento relativamente rápido, além de proporcionarem ganhos equivalentes e até mesmo superiores ao recebidos por graduados em alguns casos.

Se interessou? A seguir confira algumas das carreiras mais promissoras para a próxima década.

01 DESENVOLVEDOR DE SOFTWARE

Normalmente o desenvolvedor de software possui um bachalerado em engenharia de software ou ciência da computação. Esse profissional é responsável por projetar os programas que rodam em computadores e smartphones. Podem desenvolver sistemas operacionais (como o Windows, Android ou iOS, por exemplo) ou aplicativos para tarefas específicas (como o comunicador WhatsApp).

O profissional precisa investigar o que os usuários esperam de um programa, quais são suas necessidades, para então projetar e realizar testes de usabilidade para verificar se são eficientes para sanar as questões que os demandaram. O profissional também é responsável por gerar as atualizações necessárias, seja para incorporar novas funcionalidades, seja para eliminar erros que possam surgir durante o uso do aplicativo/sistema.

02 GERENTE MÉDICO/GERENTE DE SAÚDE

A saúde envolve muito mais do que o cuidado com os pacientes. Há muitas atividades necessárias para que o atendimento seja executado corretamente. Assim, os gerentes de serviços de saúde se tornam cada dia mais necessários para atuar em ambientes como consultórios, clínicas, hospitais e lares de idosos, por exemplo. É preciso, por exemplo, gerenciar a implantação de resoluções da ANS que estão vinculadas aos planos de saúde e convênios médicos, além de outras situações que possam envolver o Sistema Único de Saúde.

Há também a necessidade de cobrar pagamentos, gerenciar os protocolos de atendimento, conhecer, sugerir e implantar melhorias nos processos, entre outras ações que possam otimizar os serviços de saúde em geral, mantendo a qualidade de atendimento. Esse profissional geralmente possui formação em áreas de gestão ou administração, além de alguma experiência na área de saúde.



03 ANALISTA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Estes profissionais são extremamente demandados por empresas, em especial aquelas que envolvem tecnologia e finanças, para proteger seus sistemas contra crimes cibernéticos, evitando invasões ou falhas internas de segurança.

Esses profissionais atuam de diferentes maneiras para proteger informações confidenciais, atentos a possíveis violações internas e externas, além de buscar constantemente fragilidades da rede que poderiam ser uma porta de entrada para hackers, além de desenvolver modos de segurança para a recuperação do sistema caso um ataque inesperado aconteça, com a realização de backups periódicos, por exemplo, ou controlando a instalação de softwares feitas pelos usuários do sistema.

Aqui os profissionais normalmente são graduados em áreas especializadas em informática, com preferência para aqueles que possuem algum tipo de pós-graduação específica em segurança da informação.

04 DESENVOLVEDOR WEB

Quando você visita um site, você na verdade está visualizando o trabalho desse profissional, que é responsável não apenas pela aparência, mas também pelo bom funcionamento de seus comandos. Talvez você nem se dê conta da diferença entre um site bom e um ruim, mas é importante que ele tenha uma boa velocidade de carregamento e que a navegabilidade seja fácil – ou seja, não é difícil encontrar o que se precisa quando você acessa o site do seu cartão de crédito, de uma loja ou outra instituição.

Portanto, temos dois tipos de desenvolvedor aqui: os back-end, que elaboram a estrutura “interna” do site, e os front-end (responsáveis pela aparência do site). Esse trabalho, apesar de ser quase totalmente desenvolvido em frente à tela do computador, envolve também muitas reuniões com a equipe para definir qual é a melhor maneira de apresentar o conteúdo da empresa em um portal. Apesar de haver cursos superiores para esse profissional, há muitos profissionais autodidatas. No entanto é indispensável que se demonstre conhecimento de programação e design gráfico.

05 ENGENHEIRO INDUSTRIAL

Engenheiros são profissionais que se responsabilizam por projetar, criar e/ou manter alguma coisa. Um engenheiro industrial tem sua responsabilidade focada nos sistemas que fazem as indústrias funcionarem bem, supervisionando os processos de produção e de fornecimento de serviços. Aqui estão inclusos os colaboradores, o funcionamento das máquinas, a implantação de novas tecnologias, os materiais, o controle das informações, entre outras dezenas de detalhes.

O engenheiro industrial é a figura que torna possível a integração de todas as partes desse processo e trabalha para que tudo funcione de forma eficiente, reduzindo as chances de erro. Quanto ao ambiente de trabalho, esse profissional é bastante flexível. Ele pode estar em frente ao computador revisando planilhas em um dia e no outro, acompanhando o fluxo de trabalho dos colaboradores na fábrica para identificar possíveis falhas no processo. A formação pode ser em engenharia industrial, mas engenheiros mecânicos, de produção ou de outra frente também são capacitados a desempenhar o cargo, principalmente quando realizam especializações na área.