Que a pandemia acelerou as mudanças no Brasil e no mundo você já deve estar cansado de ouvir.

E isso é verdade. Antes da pandemia, jamais alguém pensaria em fazer uma tele consulta com seu gineco, psicólogo ou mesmo com a nutri.

Pois é, a pandemia chegou, mandou todo mundo se isolar e coisas que demoraríamos muito tempo para aceitar, se tornaram quase obrigatórias.

Reuniões de famílias pelo Zoom, home office, venda pela internet, e-commerce e uma série de hábitos novos a gente foi incorporando.

Com isso tudo e na iminência de mais um lockdown um ano depois, novas profissões ganham força.

Profissões que já estavam em alta, passaram a ter ainda mais procura e mais demanda. É o caso dos setores ligados a tecnologia, que nos permite trabalhar, mesmo com o “fique em casa”.

Neste post a gente vai trazer 5 sugestões para você que procura um trabalho, um freela ou mesmo quer dar uma guinada na sua carreira.

 

Tecnologia em alta

Com o “fique em casa”, com o home office sendo necessário, setores de tecnologia passaram a ter grande demanda.

Quem tem aptidão com tecnologia e busca novos desafios na profissão, está aí uma boa dica.

A questão é que nem todo mundo pode, do dia para a noite, se tornar um especialista em TI, ou em Sistema da Informação ou virar programador.



Mas há outras carreiras que você pode atuar, que são mais acessíveis e não demandam tanto tempo de preparação.

Você pode trabalhar a partir da internet, a partir da tecnologia. Por isso, não precisa ser nerd, de óculos e entender de programação para trabalhar com tecnologia. Esta realidade mudou, aliás, é um mundo bem amplo.

 

1 e 2– Influencer digital ou social media

 

Fizemos um bem bolado aqui, misturando duas profissões que estão em alta.

Apesar do ambiente de trabalho ser o mesmo, redes sociais, as duas profissões se diferenciam entre si.

A influencer precisa, na maioria dos casos, aparecer em frente às câmeras, mostrar seu lifestyle e interagir com os seguidores.

Já a social media é a pessoa responsável por atualizar e gerar conteúdo para as páginas oficiais de uma marca, empresa ou mesmo auxiliar esta mesma influencer.

A grande vantagem destas duas profissões é que você não precisa dispender grana para alugar uma sala comercial ou gastar com muitos equipamentos.

Você pode começar com um celular que faça boas fotos e vídeos (e um notebook) e depois ir melhorando, pois os rendimentos não demoram a aparecer, apesar de serem menores.

Outro ponto positivo é que você não precisa se tornar expert para começar neste ramo, sempre vai haver demanda para o patamar que você estiver.

Se você quer ser social media, conforme você ir se preparando e os resultados forem se evidenciando mais, vai ser possível subir o ticket médio e passar a cobrar mais.

Assim, você vai conquistando clientes com maior potencial de investimento.

Isso serve também para a influenciadora e também para quem quer ser youtuber, porém, o ambiente de trabalho é outra plataforma.

Se você tiver inclinação para ser influencer, social mídia ou youtuber, saiba que vai precisar estar sempre conectado para descobrir as tendências das redes sociais e as novidades conforme elas forem surgindo.

 

 Gestor e analista de mídias sociais

Ainda nesta mesma linha, temos o gestor e o analista de mídias. São duas profissões diferentes, mas em alguns casos, elas se conversam entre si.

O gestor de mídias lidera a equipe de social media da empresa. Cabe a ele planejar a estratégia, os conteúdos, o marketing e a interação dos usuários com a empresa.

Já o assistente/analista de mídias fica responsável pelo conteúdo, por criar as peças publicitárias e comandar o marketing da empresa ou do perfil público nas redes.

Citamos gestor e analista no mesmo tópico, pois o assistente de mídias também precisa, assim como o gestor, avaliar os dados coletados na rede social, planejar os conteúdos e estratégias.

Ambos precisam ter familiaridade ou saber trabalhar com Photoshop, Insta, publicidade e redes sociais.

 

Consultor de investimentos

É claro que não poderia faltar uma profissão ligada ao mercado financeiro.

Com a pandemia, o mercado financeiro não parou. E quem não perdeu o emprego ou teve redução de salário, está com atém mais dinheiro na mão.

É a demanda reprimida, pois se você manteve seus rendimentos, mas não está conseguindo viajar, é óbvio que está sobrando mais dinheiro para investir.

E aí entra a figura do consultor de investimentos, o profissional que orienta o cliente e ajuda a montar uma estratégia para que o dinheiro renda mais.

Para esta profissão, vai ser necessário se preparar mais, é preciso dominar os diferentes nichos, os perfis de clientes, a bolsa, a renda fixa, a renda variável, o mercado de imóveis e por aí vai.

Esta profissão está em alta, pois além de ter a demanda reprimida com dinheiro na mão, é uma atividade que você pode desempenhar tendo um celular e um notebook, podendo atuar de casa, com reuniões via Zoom e assim por diante.

 

Receita das delícias da vovó entregue em casa

Qual o grande prazer do “ficar em casa”? Se não tiver o que fazer, o prazer da boa comida entra em cena.

E meio que na contramão disso tudo, quando a tecnologia está em alta, surge muita gente ganhando dinheiro fazendo o que? Fazendo comida com o caderninho de receitas da vovó.

Quem é que não conhece alguém que perdeu o emprego e o extra de fazer bolos, salgados ou docinhos não calhou de virar profissão, trabalhando de casa?

Pois é. Com pandemia ou sem pandemia, todos precisam comer.

E aí quem tiver aquela receita com o segredinho da vovó e souber traduzir para os dias de hoje, vai ganhar um bom dinheiro.

Fazer bolos, tortas e doces e entregar nas casas de quem está confinado é uma grande pedida. Fazer aquele salgadinho, aquele tira gosto para matar a saudade da cozinha da vovó também é uma boa opção.

Mas é claro, não precisa ser apenas as receitas da vovó. Dá para ganhar dinheiro fazendo comida vegana, comida fit, marmita, PF e até comida rápida para entregar na casa dos clientes.

O bom de tudo é que não demora a entrar a primeira grana, basta anunciar pelas redes sociais ou divulgar na vizinhança.

Depois, é o boca-boca de quem comeu e gostou que fará a sua propaganda e trata mais clientes até sua porta.

 

Pela internet

 

Não dá de finalizar este post sem comentar que a internet e a tecnologia estão aí para ajudar todo mundo.

Seja um médico, uma nutricionista ou um personal, todo mundo pode ganhar dinheiro a partir da internet, mesmo sem trocar de profissão ou largar o diploma.

É claro que vai ter que disputar a audiência com aquele menino que faz vídeos engraçados, aquele eletricista que não sabe falar, mas dá dicas certeiras de arranjos em casa e com a decoradora que não passou pela universidade.

Tem a disputa também com aquela tia que ensina receitas gourmet para reaproveitar alimentos da geladeira, o rapaz que ensina cultivar horta em apartamento e por aí vai.

Estando em casa, a toa é que não dá para ficar.

Quem sabe, de uma brincadeira, de um teste, de um hobby não sai uma nova profissão? Se permita tentar…