Todo mundo sabe e você certamente também, que uma boa alimentação previne enfermidades.

E não apenas doenças mais leves, mas também infarto e derrame.

Nos últimos dias ganhou espaço na mídia e nas redes sociais que alimentação inflamatória pode prejudicar o paciente com relação a Covid-19.

Isso porque este tipo de alimento prejudica a imunidade e isso pode ser definitivo quando o paciente se infectar com o novo vírus.

Mas, afinal, o que são os alimentos inflamatórios?

São todos aqueles que podem levar o organismo a sofrer uma inflamação. E a longo prazo, pode prejudicar não só pela questão da imunidade, mas também levar a outras doenças como a saúde do coração.

 

Saiba quais são os alimentos que podem causar inflamação no organismo

O exemplo mais comum de alimentos inflamatórios são os produtos industrializados, o açúcar, a farinha, os embutidos, frituras e álcool em excesso.

Estes alimentos e a combinação deles pode levar o seu organismo a um estado inflamatório, que leva ao risco de doenças.

 

Sugestões para melhorar o cardápio

A alimentação influi diretamente na questão da imunidade e na criação de um ambiente propício às doenças.

Anúncios


Confira algumas dicas para melhorar sua alimentação.

Se você está se cuidando e será um alvo bem difícil para a Covid, o que você perde se melhorar a alimentação? Nada. Mas você ganhará muito com uma alimentação melhor. Se alimentando melhor, você terá uma saúde melhor.

Abacate – melhora o colesterol no sangue, deixando as veias livres de obstrução;

Brócolis – em qualquer supermercado ou quitanda você encontrará o brócolis, muito rico em vitamina K.

Esta vitamina não deixa o cálcio se acumular nas artérias gerando enrijecimento;

Berinjela –  rica em fibras, vitaminas e minerais, previne inclusive a hipertensão;

Caqui –antioxidante, reduz o colesterol LDL, chamado de colesterol ruim;

Chá verde – acelera o metabolismo e dificulta a absorção do colesterol;

Laranja – rica em vitamina C, é fonte de potássico e betacaroneto, que ajuda a prevenir, inclusive o câncer;

Morango – é rico em vitamina C, tem propriedades diuréticas e fortalece a parede dos vasos sanguíneos.

 

Conheça o Top 3 da imunidade

Já que falamos em alimentos, em frutas, verduras e legumes, vamos trazer o Top 3 para aumentar sua imunidade.

Ômega-3 – Se você quer ter imunidade, precisa ingerir alimentos ricos em ômega-3. É uma gordura boa e rica que melhora o funcionamento do cérebro e reduz a ansiedade.

Magnésio: Alguns estudos sugerem que o magnésio poderia ajudar no tratamento do estresse e da ansiedade, que atrapalham a imunidade.

Triptofano: É um aminoácido que ajuda a produzir serotonina, um hormônio essencial para evitar a ansiedade, o estresse, a depressão e a insônia.

 

As doenças que mais matam no mundo

Ao deixar de consumir alimentos inflamatórios, você não apenas estará ajudando seu organismo no combate a Covid-19, como também se prepara para não enfrentar outras doenças mais graves, como as doenças do coração.

Conforme a Organização Pan-Americana (OPAS/OMS), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo.

Estas doenças causam duas vezes mais mortes no Brasil do que todos os tipos de câncer somados, conforme a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Você precisa se dar conta que se insistir em consumir alimentos pró-inflamatórios em pequena ou grande quantidade, isso pode acelerar a gordura das coronárias e levar ao infanto, a chamada aterosclerose.

Mas o problema não está apenas nos alimentos. Comer de maneira inadequada pode levar ao aumento da pressão arterial e acaba piorando a glicemia.

Isso também leva ao aumento dos níveis de colesterol ruim e dos triglicérides, eleva o peso e causa obesidade.

 

 

Atividade física também ajuda reduzir efeitos da Covid-19

Já que estamos falando em como ficar longe da Covid ou como se preparar para enfrentá-la, caso seja contaminado, fazer atividade física vem ao encontro deste post.

Um estudo comprovou os benefícios dos exercícios que ajuda a reduzir os índices de mortalidade de pacientes infectados, dentre os que passaram por internação hospitalar.

O artigo foi publicado em uma revista científica americana (Infectious Diseases and Therapy) onde os pesquisadores relataram que treinos aeróbicos contribuem para fortalecer a imunidade e o sistema respiratório, podendo minimizar a morbidade decorrente do vírus.

Então, para finalizar o post, vamos concluir com algumas dicas para atividade física que podem ser de grande valia para você.

E antes que você pergunte, a indicação é de que a duração seja de 20 a 25 minutos diários:

Prancha – Esse exercício consiste em tocar os ombros de forma alternada na posição de flexão de braço. Você pode deixar os joelhos no chão, se isso for melhor para você.

Abdominal – Deite no chão, de peito para cima e faça movimentos mais curtos, puxando o ar na descida e soltando na subida.

Corrida – Como nem todo mundo pode sair de casa, a saída é fazer corrida apenas simulando o movimento.

O segredo desse exercício é encostar a ponta do pé no solo o mais rápido possível, amortecendo o impacto.

Sentar/levantar  – coloque seu peso sobre o meio do pé e calcanhar, sentando e levantando, sempre olhando para frente.