Com uma economia paralisada em alguns setores, muita gente perdeu seus empregos, ou sua renda caiu consideravelmente. Como consequência disso muitas pessoas em países em desenvolvimento como o Brasil que vinham melhorando o seu perfil de consumo nas classes mais baixas, foram obrigadas a descer o degrau econômico mais uma vez, e isso se reflete principalmente no que diz respeito a qualidade da alimentação.

Outro problema que contribui pra essa piora na qualidade da alimentação do brasileiro de classe social mais baixa, foram as consequências econômicas devido ao dólar alto e a inflação, que fizeram os preços subirem, e tem preocupado especialistas no assunto. A medicina prevê os resultados que vão impactar na saúde dos brasileiros pós pandemia.

 

Mais alimento processado, menos nutrientes

Para serem produzidos em larga escala, e para oferecer um menor preço ao consumidor final, alimentos industrializados usam conservantes e corantes artificiais, que muitas vezes podem trazer problemas de saúde. Além disso, alimentos processados perdem muito o seu valor nutricional. Quanto mais natural o alimento mais rápido ele se degrada, isso inviabilizaria a logística de alguns produtos e a permanecia deles nas prateleiras dos supermercados por longos períodos.

 

Alimentação saudável custa mais caro?

Se tomarmos como base, somente frutas e verduras, não será mais caro, porém numa cesta básica encontramos óleo para cozinhar alimentos, sendo o de uso popular mais usado o óleo de soja, que não é o mais saudável, açúcar refinado em detrimento ao mascavo ou demerara por exemplo.

E isso não é tudo, o leite que é o alimento fundamental na primeira infância, está sendo substituído por um composto lácteo que possui traços do leite, ou seja, não é a mesma coisa e sim uma modificação para derrubar o preço.

A longo prazo essa deficiência que já vinha sendo combatida vai se refletir em uma população com problemas de obesidade e cardiovasculares, os quais já possuem taxas muito altas, além disso esses são fatores que agravam também a questão pandêmica atual, pois o Coronavírus age nas comorbidades dessas doenças tornando o quadro do paciente mais grave.

 



Ansiedade piora a alimentação

Além dos fatores sociais e econômicos, o fator psicológico atinge todas as classes e idades, até mesmo as crianças estão sujeitas a desenvolver uma compulsão alimentar pelo isolamento social.

Como nossa rotina mudou e estamos em casa por muito tempo, o medo e a incerteza da situação deixaram muitas pessoas mais ansiosas, e algumas acabam desenvolvendo compulsão alimentar. Buscam alimentos mais calóricos em compensação as outras necessidades. As crianças estão em casa sem a rotina da escola e creches, isso pode torná-los impacientes e a ansiedade evolui para as deficiências alimentares. O contrário também é um risco, algumas pessoas com sintomas de ansiedade, perdem o apetite e não conseguem comer e isso vai trazer uma baixa nos nutrientes essenciais que a pessoa precisa.

  

Como equilibrar um momento de crise e não afetar o comportamento alimentar saudável?

 

Se o problema não for de origem financeira, procure receitas diferentes com sabor, e de o máximo de produtos naturais. Com tempo livre em casa dá pra cozinhar melhor e buscar inovar no cardápio da família. As crianças maiores podem ajudar lavando algumas frutas e legumes, e até na mistura de alguns alimentos, assim você pode envolve-los em atividades e mantê-los ocupados enquanto te ajudam.  Beba bastante água, é o remédio natural mais eficiente, e ajuda a limpar o corpo das toxinas que ingerimos.

Se perceber que está comendo por ansiedade, procure tratar as causas da ansiedade, somente substituir as refeições não irá ajudar, quando você se sentir bem, terá mais chances de comer nos horários corretos e alimentos certos.

Relaxe, procure não ver notícias que possam lhe causar gatilhos emocionais, sempre que se deparar com uma situação do tipo, procure desviar o foco para algo que te dar mais prazer. Lembre-se que uma boa alimentação deixa o sistema imunológico mais forte e é assim que podemos ter mais segurança contra não só o Coronavírus, mas outras doenças.

Procure ajuda especializada de nutricionistas e psicólogos que estão todos preparado para as mudanças de que comportamento que essa crise causou.