A pandemia do novo coronavírus aumentou o desemprego, fez cair a renda da população e…

Fez aumentar a procura por crédito.

É o que diz o indicador da Serasa Experian.

Este índice mostra que cresceu 10,9% a busca dos negócios por linhas de crédito nos primeiros meses de 2021, se comparado ao mesmo recorte de 2020.

A alta na busca por crédito está diretamente ligada ao cenário de saúde e da economia nacional, que vai e volta a impor restrições de funcionamento às empresas.

A procura por empréstimos movimentou o setor, não apenas para PF, como também para PJ.

Muitas famílias recorreram ao crédito para quitar as contas ou manter as despesas da casa em dia.

Da mesma forma, os empreendedores, recorreram a financiamentos para manter as portas abertas.

Veja que as micro e pequenas empresas lideram a busca por crédito

A saída, com o abre e fecha do comércio, levou os empreendedores a buscarem alternativas para continuarem de portas abertas.

Por isso, a busca por crédito é uma alternativa para manter as contas em dia, não cair na inadimplência e garantir o funcionamento dos negócios.

Neste levantamento, as empresas de menor porte seguem sendo as que mais demandam por crédito no país.

Anúncios


Em relação às de médio porte, a procura por crédito se manteve, sendo de apenas 0,1% de procura. Já as grandes se mantêm.

Veja o que levou as famílias a buscarem por empréstimos

Não foram apenas os microempreendedores que se socorreram no crédito.

A mesma alternativa do PJ também foi utilizada pelas PF.

A busca dos consumidores por crédito registrou alta de 4,9% na comparação entre abril de 2021 e o mesmo mês do ano anterior.

De acordo com o Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito da Serasa Experian, os consumidores com as menores rendas mensais impulsionaram a alta.

Aqueles que recebem até R$ 1.000, expandiram 7,4% e 5,3% a busca por empréstimos.

O aumento de 7,4% na procura foi para aqueles que têm renda de até R$ 500. E o aumento de 5,3% na busca por empréstimo foi para quem ganha até R$ 1000.

Isso demonstra que, quanto menor a renda, maior foi o apoio dado pelas financeiras, liberando empréstimos para o consumidor usar no dia a dia.

Saiba quais fatores levaram a procurar por crédito

Entre os fatores que levaram o brasileiro a recorrer ao crédito, sabe quais são os dois principais?

As taxas de desemprego ainda elevadas e o menor valor do auxílio emergencial do governo neste ano.

Embora o índice tenha demonstrado expansão no setor, o aumento da demanda por empréstimo não vai aquecer a economia como se espera, visto que a finalidade é apenas quitar as despesas do cotidiano.

Ainda na análise mensal, o destaque ficou para a Norte, onde cresceu 8,9% a procura por crédito.

Na sequência, Centro-Oeste (8,4%), Nordeste (4,7%), Sudeste (4,2%) e Sul (3,8%).

Entenda que para buscar crédito saber seu ‘score’ é fundamental

Quem busca crédito ou financiamento precisa saber seu ‘score’.

Seja para comprar bens de menor porte ou realizar sonhos como a compra da casa própria, provavelmente já se deparou com o score.

Como ele é feito? O que é levado em conta para compor o score de uma pessoa?

Ele é composto a partir de variáveis como renda, comportamento e histórico de pagamento.

A tudo isso, é feita uma pontuação de 0 a 1.000.

No caso do Serasa Score, essa nota apresenta a probabilidade de um perfil pagar suas contas em um determinado período. Ou não pagar, no caso de quem tem score baixo.

Entre 2019 e 2021, o percentual de pessoas que consultam seu próprio score passou de 72% para 77%. Isso foi o que demonstrou uma pesquisa da Serasa, que é líder na América Latina em serviços de crédito e apoio para empresas.

Neste mesmo levantamento, 49% disseram que consultam o score para acompanhar sua nota e 45% alegam curiosidade.