O calendário escolar para 2021 está mais para fundão de sala do que para aquela turma da frente que acha que já sabe de tudo.

Enquanto alguns estados já agendam o retorno às aulas, outros preferem melhorar nos estudos: a prevenção é a lição, antes de qualquer decisão, para salvar todo mundo.

Além da incerteza dos governos estaduais, soma-se a dos pais e responsáveis, que não sabem como se programar em relação aos gastos com os estudos.

Até que essa equação tenha algum resultado, anote aí a tarefa de hoje: aprenda o ‘bê-á-bá’ da compra de materiais escolares.

Estude cada uma das disciplinas abaixo e as coloque em prova quando estiver com o carrinho aberto da loja física e virtual.

Bons estudos!

MATEMÁTICA

Sim, não tem como fugir. Goste ou não, você vai lidar com contas e precisa ter o mínimo de familiaridades com os números.

Faça o dinheiro multiplicar: some descontos, subtraia os custos e, de for o caso, divida no cartão de crédito. Se puder pagar à vista, melhor.

É importante continuar a exercer a Matemática ao longo do ano: contabilize o que precisar ser reposto. Não fique em dívida com os estudos de quem você ama.

LÍNGUA PORTUGUESA

É preciso ter tudo bem anotado antes de começar sua saga pela compra de materiais escolares.

É comum os colégios disponibilizarem a lista padrão. É seu ponto de partida. Inclua e exclua o que for necessário.

Anúncios

Não dispense a redação de um relatório para se certificar se o trabalho chegou ao ponto final. Na dúvida, coloque os pingos nos is.

HISTÓRIA

Antes de sair às compras, faça um ‘levantamento histórico’ de tudo que ainda está à disposição em casa.

Itens como lápis de cor, canetas, folhas sulfite e tudo mais o que a escola já devolveu (se for o caso) pode ajudar na economia.

Se a conta não estiver fechando para a compra dos materiais escolares, não tem outro jeito: comece utilizando o que já tem.

GEOGRAFIA

Como os dias de pandemia recomendam que se fique em casa, aproveite para exercer uma geografia digital pelos sites das lojas.

Consulte e compare preços e marcas e, se for o caso, divida as compras em mais de um lugar – com direito a delivery.

Agora, se você acha melhor visitar pessoalmente à loja, cuide-se para que o vírus não tenha chance nenhum de invadir seu território.

CIÊNCIA

Raciocine com a gente: o que vai mudar na experiência de aprendizagem do aluno esta lista que você tem em mãos?

Não raro, acontece de a solicitação exceder a necessidade. Dinheiro não se faz em laboratório (até onde sabemos, ainda não!).

Nestes casos, talvez seja o momento de botar a mão na consciência e analisar a possibilidade de um ajuste com o colégio.

ARTES

Muitas vezes, para dar conta do ‘listão’ de materiais, o(a) comprador(a) precisa recorrer à sua veia artística de economista que todo mundo tem.

Isso inclui, por exemplo, uma bela atuação na hora de solicitar um bom desconto. Vai que sua encenação convence!

O livro pedido está caro? Vá para o sebo. “Ah, mas o que encontrei lá não está tão conversado”. Restaure-o. Use sua criatividade.

FILOSOFIA

Pense com a gente: se logo o consumo de materiais escolares aumenta e o preço vai junto, não seria melhor aproveitar as promoções de agora?

Se na compra por atacado o custo sai mais barato, não seria melhor do que ficar pagando ‘picado’ e mais caro?

Afinal: se estuda para pagar ou se paga para estudar? Eis a questão!

POESIA (BÔNUS)

Esperamos que este singelo post / tenha te ensinado uma lição / que o orçamento escolar é uma tarefa / que se aprende com dedicação.

Que as disciplinas aqui definidas / sirvam como uma régua de guia / ajude a comprar o que é certo / com boas escolhas e economia.

Se as aulas voltarão em breve / cabe ao governo esta decisão / enquanto isso não se decide / a gente se protege da covid / imunizando a todos com Educação.