As vendas pela internet ainda engatinham no Brasil. Há muito a percorrer, mas a pandemia acelerou tudo.

Este número de consumidores que recorrem a internet na hora de comprar é cada vez maior, mas o percentual ainda é muito baixo em relação até onde pode chegar.

A pandemia fez tudo se antecipar, inclusive neste setor.

As buscas por produtos na internet brasileira revelaram algumas surpresas em março deste ano: a procura de produtos para home office explodiram.

Entre os itens mais procurados estão notebooks, cadeira para escritório e outros. O aumento que já vinha sendo registrado aumentou consideravelmente.

É sobre isso que vamos falar neste post, sobre a mudança que vem ocorrendo, silenciosamente ou aceleradamente, nos bastidores da pandemia.

 

Procura por notebooks na internet aumentou neste ano

 

Para se ter ideia, a busca por notebooks foi quase 20 vezes maior no mês passado em relação ao mesmo mês de 2020.

O que também aumentou no radar das buscas em e-commerce foi a procura por cadeiras de escritório, para trabalhar frente a notebook ou computador.

Até a chamada “cadeira presidente”, um tipo de cadeira de maior valor agregado, ficou entre as 10 maiores procuras para compras no e-commerce brasileiro.

Anúncios


A cadeira presidente, item do mobiliário premium de escritórios, atraíram 4 vezes mais buscas online. Já as cadeiras de escritório em sua forma genérica, tiveram crescimento de procura na ordem de quase 3 vezes mais.

As bicicletas registraram um crescimento na procura na ordem. Foi superior a 8 vezes mais.

Há, aqui, um indicativo de que, pelo home office, o brasileiro está com tempo para dedicar-se a algum esporte ou mesmo atividade de lazer, e a bicicleta surge neste contexto.

 

Procura no site de buscas ou marketplace não se traduz em venda

Muitas pesquisas apontam este aumento, através da inteligência artificial das empresas e dos marketplace, além de pesquisas e levantamentos feitas por entidades ligadas ao setor.

Quando estamos falando deste assunto, precisamos contextualizar o seguinte. Não quer dizer que a procura signifique venda.

Procurar por produtos na internet não signifique que a venda aconteceu, mesmo assim, elas demonstram claramente o desejo do consumidor.

E estes dados não só demonstram que o consumidor tem interesse na compra, como demonstram a confiança do consumidor em efetivar a compra pela internet.

Daí o entendimento do campo imenso que ainda há para o e-commerce no Brasil, incentivado ou não com a pandemia.

 

Entenda a mudança de hábito deste o início da pandemia

Não há dúvida de que desde a quarentena iniciada lá em março passado, o paradigma das compras mudou.

Desde lá, muitos migraram para as plataformas online. Não só as empresas, como os consumidores. E uma coisa puxou a outra.

E isso tudo transformou os hábitos de consumo. E esta importância que os móveis “de escritório” acabaram puxando as buscas, e, quem sabe as vendas.

Isso faz também surgir a necessidade de alterar o termo “móveis de escritório”, pois, na verdade, são móveis mais adequados ao home office.

Por fim, todos esses itens estão revelando um aumento considerável nas buscas online ao longo de 2020 e início de 2021.

 

Confira os 10 itens mais buscados na internet

O levantamento feito em março deste ano é importante porque a pandemia completou um ano.

Com isso, torna possível enxergar melhor o contraste entre hábitos de busca online do antes, o do início e este durante a pandemia.

Confira os dez itens mais procurados no mês de março na forma online em importantes e-commerce, os maiores marketplaces brasileiros.

Na ordem, segue o checklist: máscara N9, pneu, cadeira de escritório, notebook, produto para queda de cabelo, mercado online, sofá, mesa de jantar e cadeira ‘presidente’.

 

Procura por máscaras aumentou

Por fim, para finalizar este post, é claro que a procura por máscaras também aumentou em março. O produto teve um “boom” nas pesquisas online no último ano.

A que teve maior procura foi a máscara N95, usada na prevenção às novas cepas de Covid-19.

Em março do ano passado, a procura na internet era pequena, até porque, dos que usavam máscara, a maioria utilizava descartável ou de pano.

De lá para cá, suas buscas se multiplicaram por 10 vezes mais e o item lidera o total de cliques dos levantamentos divulgados, como por exemplo da plataforma Radar Simplex.