Parece que 2020 ainda não terminou. Não é só você que tem a impressão que muita coisa de hoje já aconteceu e vem se repetindo desde o ano passado.

É óbvio que ninguém quer parar no tempo ou ficar preso nesta pandemia, mas talvez esta repetição traga algo de positivo.

Em uma época de tanta notícia ruim, o lado bom é que você pode aproveitar a continuação da pandemia para fazer com que 2021 seja melhor do que 2020. Pelo menos no lado financeiro!

Uma queixa muito comum que se ouviu é que o ano passado não foi bom, também pelo lado das finanças.

Apesar de todo mundo ter ficado boa parte de 2020 em isolamento social, sem sair de casa, sem viajar, sem frequentar shopping, jantar fora e passear na maioria dos meses, mesmo assim, não foi possível criar uma reserva financeira.

Ou o que é pior: em alguns casos, muitos se endividaram, seja por conta de má gestão financeira, por conta da perda do emprego ou da perda de rendimentos

Então, se em 2020 você não ficou desempregado, não perdeu tanto rendimento, mas, mesmo assim, ficou no vermelho, este post é para você.

E como 2021 vem repetindo 2020, que tal aproveitar esta segunda chance de fazer as coisas serem diferentes na questão financeira?

Não vamos trazer nenhum abracadabra, mas este post traz passos simples que vão permitir você mudar de vida quando esta pandemia chegar ao fim.

 

Como adaptar o orçamento em tempos de pandemia

 

Anúncios


Enquanto a pandemia não vai embora, é importante tomar algumas atitudes para adequar o orçamento e não levar susto de ficar no vermelho de novo.

Aproveite seu tempo livre nesta pandemia para organizar seu orçamento pessoal.

Se não quiser ir tão longe, a ponto de fazer um bom planejamento financeiro para investimentos, pelo menos, encontre o equilíbrio das finanças para fizer no 0 a 0, sem dívidas.

A crise vai passar, mais cedo ou mais tarde. Até lá, como não se sabe como será a recuperação e nem quanto tempo a crise vai demorar, é importante colocar seus  ganhos e gastos na ponta do lápis, para ajustar as finanças e sair do vermelho.

 

 

O primeiro passo é controlar os gastos

Antes de qualquer começo, é importante dar o primeiro passo controlando o que entra e o que sai.

Mais do que anotar os gastos, é tomar nota das duas pontas, tanto ganhos como gastos.

Para saber onde está pisando, você precisa controlar o que você ganha e o que você gasta.

Não precisa ser para sempre se você achar trabalhoso, mas por alguns meses, anote seus gastos e ganhos, cuidando para usar o dinheiro sem exageros.

Pode ser via app de controle de finanças ou planilhas de gastos do Excel

 

Passo 2: não gaste mais do que você ganha

Se você fez o dever de casa e anotou quanto entra de dinheiro no mês em casa e também todas as suas despesas, você pode dar o segundo passo: fazer o balanço financeiro.

Talvez seja o mais importante passo de todos, que é analisar se você ganha mais do que recebe ou se é o contrário. Aqui, é importante não se iludir e nem ficar encontrando desculpas.

Jamais seja indisciplinado de gastar mais do que você ganha.

Se isso está acontecendo, aproveite a pandemia e corte despesas desnecessárias,  como fazer compras de tantas roupas e outras coisas, já que você está em isolamento em casa.

 

Passo 3: comece a poupar

Sabendo quanto entra e quanto sai, você terá seu balanço financeiro.

A partir daí, tente implementar o hábito de poupar. Há várias regras defendidas por educadores financeiros, que recomendam guardar de 20% a 30% do que você ganha.

Se você mal consegue ficar no azul, não se prenda a regrinhas de gurus da internet. Comece a poupar. Ponto. Nem que seja 1%, 5% ou 10%.

Qualquer valor que seja, qualquer percentual relativo aos seus ganhos já é uma atitude coerente com seus interesses futuros.

Mas comece ontem, não deixe para o mês seguinte por conta de uma desculpa de hoje. Senão, amanhã haverá outro motivo para não começar e assim por diante, calhando de você não conseguir criar sua poupança jamais.

 

Passo 4: Sem disciplina ou constância você não vai longe

Estas são as principais atitudes. São breves iniciativas, simples ou óbvias até, mas que fazem a diferença.

Aí atente-se para o quarto passo: constância e disciplina.

Inicialmente, a pequena economia que você conseguirá fazer para poupar não vai significar muito. E isso é motivo para desistir no segundo ou terceiro mês por conta de algum imprevisto.

Saiba que o dinheiro não dá em árvore e ele não vai se multiplicar muito, ainda mais se a quantia poupada for pequena.

Por outro lado, lembre-se que, entre estar no vermelho, qualquer valor que você conseguir guardar todos os meses já será uma fortuna.

É isso é uma grande diferença, entre ter uma pequena reserva e se endividar cada vez mais, há um oceano de diferença.

Neste quesito é que a constância é importante. É continuar sendo disciplinado mesmo sabendo que o dinheiro não é muito.

E mesmo sabendo dos imprevistos que nos tentam a torrar as parcas economias que já temos.

 

Dicas extras para você não perder o foco

 

Por fim, tome cuidado com compras. Se for a supermercado ou loja pessoalmente, faça lista para evitar compras por impulso, como as promoções.

Nem sempre uma promoção é uma promoção. As vezes, o produto mais barato da prateleira pode ser bem mais caro que a loja ou supermercado do outro quarteirão.

Da mesma forma, tome cuidado com compras pela internet. Não fique passeando pelos marketplace, a tentação é grande e você pode acabar comprando o que não precisa.

Nas compras por delivery é a mesma coisa, principalmente com alimentação. Por mais em conta que sejam, no fim do mês acabam pesando no bolso.

Se lá no passo 2, na hora do balanço financeiro, você constatou que está endividado e pagando juros altos, há uma saída.

Você precisa verificar algum empréstimo cujas taxas sejam mais baratas. Fazer um consignado com desconto na folha de pagamento sempre será mais em conta do que um financiamento qualquer.

Outro ganho bem significativo que influencia nas planilhas de controle financeiro é fazer compras a vista ou negociar os pagamentos.

Assim como fazer pesquisas pela internet ou pessoalmente em supermercados e lojas, negociar pagamentos redunda em uma economia significativa.

Seguindo estes passos simples, que não são difíceis a ninguém, quem sabe você pode sair do vermelho.

E o melhor de tudo é poder encerrar 2021 melhor do que foi o ano que passou.

Quem sabe, com o fim da pandemia, para celebrar a nova fase, não se tenha economia suficiente para uma viagem dos sonhos?

Depois de tanto tempo em casa, em isolamento social, cumprindo o objetivo de poupar, todo mundo merece um presentinho para descansar em algum paraíso turístico. Pagando a vista, é óbvio!