Para alcançar objetivos e sonhos, normalmente usamos da ajuda de outras pessoas, seja com o conhecimento, tempo ou até mesmo dinheiro, é aí que entram os bancos. Os serviços de créditos de um banco devem ser usados como ferramentas: cada serviço tem um objetivo e deve ser planejado seu uso para evitar descontroles e negociação de dívidas. Não existe cartão de crédito mágico ou empréstimo milagroso que acabará com seus problemas financeiros. Todos eles serão uma solução a curto prazo e que deverá ser pago, depois, com juros.

Sabemos que nós, brasileiros, temos um péssimo hábito de gastar mais do que temos e fazer dívidas sem pensar muito. Pensando nisso e pensando que você pode ser uma dessas pessoas, criamos dicas para negociar sua dívida com o banco

Leia e releia seu contrato

Antes de tudo, você tem que saber onde se meteu, que tipo de acordo assinou.

Leia o contrato de maneira mais cautelosa possível, procure irregularidades como juros abusivos ou algo que fira o código de defesa do consumidor.

Muito importante estar atento ao valor faltante para quitar a dívida para fazer o melhor acordo com o banco na hora de negociar as dívidas. Informação é tudo na hora que você sentar na frente do gerente.

Seja realista

Faça um planejamento do seu orçamento, seja realista, entenda que será uma época de sacrifícios extras. Saiba qual o valor máximo valor das parcelas que você pode pagar sem que isso sufoque seu orçamento. Faça um quadro com seus gastos e controle o máximo possível. Quando tudo estiver calculado você terá mais uma informação útil para negociar dívidas.

Apareça, se mostre

Com essa tendência de bancos online, fica tentador querer renegociar a dívida sem sair de casa e se expor como devedor.

Dever não é errado, nem sujo e muito menos feio, já que você está procurando uma solução para resolver o problema. Então vá até o banco e fale com o gerente, você terá mais chances de uma solução feita sob medida para seu problema.

Seja forte

Muitos irão tentar aproveitar da situação frágil do devedor para oferecer acordos ruins ou até mesmo tentar vender novos serviços ao invés de renegociar a dívida. Tenha uma meta, não se intimide pelo banco ou pelas propostas do gerente. Você está lá para conseguir o melhor acordo possível e o banco prefere receber algo do que nada.

É bem simples, o banco precisa de você pois ele prefere receber algo do que não receber nada, e você precisa dele para limpar seu nome. Ou seja, não aceite acordos ruins que só favorecem ao banco

Tenha uma plano B e C

O banco pode simplesmente não querer sua proposta e achar que você tem condições de arcar com um dívida impagável. É hora de tentar outras opções de renegociação da dívida.

  • Empréstimo consignado
  • O juros de um empréstimo consignado é bem menor que o juros de um cartão de crédito. Já pensou em vez de renegociar sua dívida, pedir um empréstimo consignado mais fácil de pagar?
  • O empréstimo consignado já é descontado direto na folha, não há como atrasar ou deixar de pagar um boleto.

Feirões

Existem diversos feirões promovidos por órgãos públicos e grandes empresas para facilitar a vida de quem deseja negociar sua dívida de maneira rápida, com boas condições e sem burocracia.

Pode acabar sendo melhor ir a um feirão do que diretamente ao banco. Pode-se conseguir melhores benefícios do que na própria agência.

Endividamento nunca mais

Após quitar todas as pendências e finalmente voltar a respirar aliviado, você deve aprender como usar o dinheiro de forma correta para evitar problemas no futuro, afinal, negociar dívidas nunca mais.

Aprenda a planejar melhor seu orçamento para evitar problemas no futuro! Essa e outras dicas você encontra aqui no site.