Como organizar sua vida financeira?

Ainda na infância nos deparamos com questões financeiras, seja quando os nossos pais não podem nos comprar algo pois o orçamento está apertado ou seja quando juntamos aquele suado dinheirinho no nosso porquinho e vemos que no fim ele não dá pra fazer muita coisa. Embora sem ainda ter consciência da dimensão da influência do dinheiro em nossas vidas, desde o começo a falta dele nos frustra. O problema é alguém já te ensinou como organizar sua vida financeira?

Planejamento financeiro não é algo que aprendemos na escola em nossa educação formal, embora devêssemos, também não é algo que esteja presente em nossa cultura, que recebemos através de nossa educação informal. Pois como nossos pais passariam algo adiante que nem se quer eles aprenderam?

Essa falta de ensinamentos e até mesmo muitas vezes de estímulos nos fazem crescer sem nenhuma consciência econômica e enfrentar problemas financeiros diversas vezes na vida. Existem aqueles que passam toda a vida sem saber se organizar alguns aprendem tardiamente, qual deles é você?

Mas saiba que dá pra ser diferente, você não precisa passar a vida aprendendo com seus erros. Siga esses oito passos simples e verá que organizar sua vida financeira não é uma tarefa impossível.

1. Não gaste mais do que você ganha

Talvez pareça até meio óbvio destacar esse ponto, mas o fato é que as pessoas se endividam por gastarem mais do que seu orçamento permite. E não é só o fato de extrapolar seus ganhos, pois parece inimaginável para alguns que isso aconteça, embora sim aconteça. É que muitos gastam até o último centavo, aí vem a pergunta e no caso de uma emergência?

Respondendo esse questionamento chegamos no segundo ponto.

2. Reserve dinheiro para emergências

Por mais que você não conte com imprevistos eles sempre irão existir e você deve estar preparado para eles, principalmente se tiver filhos.

É importante pensar que podem surgir gastos extras com a sua saúde ou com a saúde de membros de sua família e animais de estimação, com a manutenção de automóveis, ou até mesmo acontecer uma situação de desemprego, que é algo crescente em nosso país.

Você deve reservar uma parcela mensal de sua renda somente para emergências, essa reserva não deve fazer parte daquela reserva que você está fazendo para uma viagem ou para trocar de carro. Ela é única e exclusivamente para emergências e só deve ser gasta com essa finalidade.

3. Faça uma poupança

Você não deve viver só para trabalhar e pagar boletos, esse não é um meio de vida saudável. É importante fazer uma poupança para fazer aquela viagem que a tanto tempo você sonha ou para ter um carro com mais conforto, ou até mesmo para a aposentadoria. O fato é que devemos guardar uma parcela de nossos proventos para executar nossos planos de vida.

Seja em uma poupança comum, aplicações ou investindo o seu dinheiro em tesouro direto (o que costuma ser bem mais rentável), entre outros tipos de tesouro, é importante investir dinheiro em qualidade de vida. Pois isso traz metas e perspectiva para sua vida.

Poupar não é um luxo, poupar é uma necessidade e é isso que você deve ter em mente, reserve uma porcentagem de seus ganhos para isso e tenha em mente como responsabilidade, assim como qualquer conta que você tenha que pagar.

4. Economize dinheiro

Quando falamos em economizar dinheiro não devemos nos privar de tudo o que a vida tem de bom, mas sim ter estratégias para gastar menos. O uso do cartão de crédito por pessoas conscientes por exemplo é uma ótima ferramenta para isso.

Algumas empresas já oferecem cartões de crédito sem anuidades, além disso os cartões de crédito oferecem inúmeros benefícios com programas de pontos e descontos em empresas parceiras.

Dá pra fazer o Happy hour ao menos algumas vezes em casa, partilhando os custos com os amigos. O que é normal, afinal se fossem sair também partilhariam não? Além de que nesses dias de crise não dá pra bancar de patrão.

Existem várias coisas do tipo faça você mesmo que podem gerar grande economia, mas é claro vamos nos incumbir de fazer somente algo que realmente sejamos capazes. O importante é mudar o nosso meio de pensar e assim gerar pequenas economias que trarão grandes resultados.

5. Conheça melhor seu perfil e estabeleça metas

Nenhum indivíduo é igual, tendo isso em vista devemos analisar as metas e aspirações de cada pessoa para entender como agir, assim é com nós mesmos. Devemos nos fazer alguma perguntas para nortear nossas decisões. A primeira delas é:

O que é prioridade em minha vida? Para alguns pode ser viajar o mundo, para outros casar, ter filhos. O importante é que não existe certo ou errado, mas devemos ter essa compreensão para estabelecermos metas.

De acordo com as nossas prioridades devemos nos questionar, quanto posso investir em meus objetivos? Desde que você mantenha uma proporção fixa de controle com suas reservas de emergências, gastos ordinários mensais (supermercado, transporte, contas fixas como água, energia e telefone) e até mesmo lazer, você pode investir no setor de poupanças o máximo que conseguir, isso te ajudará a alcançar seus objetivos mais rapidamente.

6. Organize suas finanças

Algo tão importante como economizar e poupar é ter o devido controle e equilíbrio das despesas e dos proventos, assim se evita excessos e tem-se uma dimensão exata  de onde estamos gastando nosso dinheiro e onde podemos cortar gastos desnecessários.

Fazer uma planilha de controle de gastos é algo que pode ajudar e muito, desse modo se acompanha de perto a rotina financeira. Já é possível encontrar também aplicativos que ajudam a gerenciar seu cotidiano financeiro, assim como no detalhamento de alguns cartões de crédito podemos ver de modo genérico em quais setores estamos gastando (como por exemplo supermercado, saúde, transporte).

7. Não Misture as contas

Se você é daqueles que mal tem uma conta, é melhor pensar sobre isso. A conta em que você paga faturas, boletos e contas deve estar totalmente separada da conta em que você poupa dinheiro.

Isso porque além de você ter controle exato sobre ambas, você evita deixar de ganhar, já que para que haja rendimentos o dinheiro da poupança por exemplo deve ficar bem quietinho de preferência aplicado, ou até mesmo em algo melhor que você não tenha como acessar tão facilmente que é o caso dos tesouros.

8. Mantenha-se informado

O mercado muda, as necessidades também assim como vários aspectos cotidianos de nossas vidas. Por isso é importante manter-se atualizado sempre, algo que hoje pode ser válido hoje, amanhã pode não ser. Investimentos novos e facilidades econômicas surgem a todo momento, tendo isso em vista é importante manter-se antenado.

Além de você se nutrir de conhecimento e conseguir assim organizar sua vida financeira cada dia mais, você passa a diante aos seus e quebra essa cultura errônea de não se educar financeiramente as gerações no Brasil.

Publicado por: Equipe