A Receita Federal anunciou mais uma novidade nas formas de pagamento.

A novidade consiste na unificação do DARF.

Isso vai permitir que qualquer contribuinte possa pagar múltiplas dívidas no mesmo DARF.

Isso elimina parte da burocracia e simplifica as coisas para pessoas físicas e jurídicas.

Mas, principalmente para quem é autônomo ou profissional liberal, que precisa recolher vários tributos e não tem um departamento ou uma assessoria para fazer esta tarefa.

Enfim, a modernidade chegou à Receita. Se você sempre pode pagar todas as contas de água e luz ou de telefone de forma conjunta, por que com o DARF ainda não dava?

Outra mudança considerável é que você pode pagar via PIX, já que o DARF não tem código de barras e isso era uma dificuldade na hora de pagamentos.

Quer saber como esta medida vai impactar a sua vida, confira neste post.

Preparamos este post para te explicar como vai funcionar esta novidade e de que forma você poderá fazer uso dela.

Entenda o que é o DARF e para que serve

Antes de tudo, precisamos contextualizar.

Se o DARF não faz parte do seu dia a dia, não tem problema, vamos explicar para você o que é e para que ele é usado no país.

Anúncios


Mas o que é o DARF?

DARF é a sigla de Documentos de Arrecadação de Receitas Federais.

O objetivo do DARF é coletar tributos tanto de pessoas físicas quanto jurídicas.

É uma prática comum no mundo empresarial para pessoas físicas, empresas e até mesmo investidores.

Se você, por exemplo, empregou capital em um investimento e obteve lucro, é preciso pagar o DARF para estar em dia com o Leão.

Veja quais impostos são pagos através do DARF

Se você não sabe o que pode pagar através do DARF, não tem problema, mais uma vez, a gente coloca tudo aqui para você.

Está em dúvida sobre quais tributos podem ser pagos pelo DARF?

Confira nesta lista alguns deles:

* Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e Jurídica (IRPJ) ;

* Imposto sobre Operações Financeiras (IOF);

* Programa Integração Social (PIS);

* Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);

* Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);

Veja qual a vantagem oferecida por este novo DARF

Então, qual a vantagem do novo regramento para o DARF?

Com a unificação do DARF existe agora a possibilidade de pagar dívidas pendentes num único documento, um só DARF.

Você não precisa ficar perdendo tempo em várias partes do site da receita para imprimir vários DARFs, pode fazer tudo em um só.

Com isso, você vai ganhar tempo e dinheiro.

Quer dizer, não vai ganhar dinheiro propriamente dito, vai pagar, afinal, o DARF é o pagamento de tributos ao governo.

Bem, você entendeu, vai ganhar tempo e dinheiro pela comodidade de pagar tudo em uma vez só.

A partir da unificação dos débitos, implementados pela Receita Federal existe a pretensão de que além da simplificação do processo no pagamento de impostos, torne o mecanismo mais rápido e ágil.

E se o processo fica mais rápido para o contribuinte, para você, é sinal de que a Receita vai receber antes o seu débito.

Essa seria uma das intenções do órgão para receber as contribuições federais.

Outra grande vantagem é que agora você pode pagar via PIX.

Pagar o DARF não está entre as coisas mais fáceis, pois ele não tem código de barras. Agora, com PIX, ficou muito mais acessível.

Saiba se pode unificar um DARF para qualquer valor

Mas você não pode unificar um DARF para qualquer valor.

O sistema traz objeções.

Mas fica tranquilo que a gente te explica.

Há um valor mínimo para unificação do DARF.

Para o caso de valores inferiores a R$ 10, por exemplo, é necessário que sejam incluídos para o pagamento quando a soma superar o valor mínimo.

Traduzindo: se você tiver dívidas inferiores a R$ 10, elas poderão ser cobradas e pagas por meio de um único DARF que será emitido pelo sistema no momento que existirem outros valores que juntos superem o valor mínimo para sua emissão.

Para isso será necessário selecionar os débitos na situação fiscal e posteriormente emitir o DARF.

Saiba quais são as facilidades para o contribuinte com esta mudança

Mas, afinal, o que mudou nesse sentido?

Além da facilidade de poder emitir um único documento e pagar tudo de uma só vez, mudou a regra para pequenos valores.

Após essa mudança a Receita Federal determinou que débitos inferiores a R$ 10, que antes não eram cobrados, podem ser somados com outros valores, desde que existam.

Então, o que muda na prática isso na minha vida?

Se a soma desde vários valores pequenos, superarem os R$ 10, para fazer a emissão basta selecionar os devidos débitos e emitir o DARF em documento único para efetuar o pagamento.

Veja o passo a passo para emitir seu DARF

Como faço para emitir um DARF?

Depende da situação em que você se encontra? Qual é sua situação empresarial?

Você é pessoa física?

Então, siga os seguintes passos:

1 – No portal da Receita Federal busque pela aba denominada “Meu Imposto;

2 – Clique em “Serviço Pagamento”;

3 – Busque por “Consultar Débitos;

4 – Clique em “Emitir DARF”;

5 – Logo após, em “Alterar Quotas”;

6 – Para finalizar, selecione o ícone relativo à “impressão” e por fim, faça a emissão de sua DARF.

Veja outra forma de emitir o DARF de forma mais rápida

Também é possível emitir o DARF através de uma modelo disponibilizado no portal do Governo Federal denominado “regularize.pgfn.gov.br”.

Para fazer isso, basta fazer o seguinte, confira:

1 – Após acessar a página indicada opte por “Emitir Guia de Pagamento;

2 – Na sequência clique em “Emitir DARF/DAS parcial ou integral”;

3 – Após você deve informar seu CPF ou CNPJ relativo ao contribuinte devedor, bem como o número da inscrição;

4 – Opte por “Emitir DARF integral” ou “Emitir DARF parcial”;

5 – Para finalizar, imprima.

6 – Se possível ou salve seu documento no seu computador ou Smartphone para efetuar o pagamento que já pode ser pago, inclusive, via Pix.