Faz um Pix pra mim?

O Pix mal foi criado e já saiu por aí facilitando a vida de todo mundo.

Virou o queridinho do brasileiro, que adora não ter que pagar taxa nenhuma.

Outra coisa que brasileiro adora é quando não tem burocracia, é rápido e fácil de fazer.

É o caso do Pix, que facilitou a vida dos brasileiros na hora de fazer pagamento ou transferir alguma  grana.

Mas a facilidade em usar o Pix, como não poderia deixar de ser, chamou a atenção dos criminosos.

Quer ver quais são os golpes mais comuns e como tomar cuidado para não cair em nenhuma fraude, confira este post até o fim.

 

 

O que é o Pix?

É um novo meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central.

Veio como nova opção ao TED, DOC, porém, é gratuito.



Com o Pix, pessoas e empresas podem transferir ou pagar contas em até 10 minutos, sem gastar um centavo de taxa.

 

Para o bem ou para o mal

Há males que vem para o bem. Mas ha males que vem para o mal mesmo!

Pois é, uma das vantagens do Pix é que ele permite movimentar dinheiro rápido e a qualquer dia e horário.

E esta comodidade veio para o mal também. A rapidez acabou facilitando a vida dos estelionatários.

Com o Pix, eles conseguem movimentar dinheiro de forma rápida, não dando tempo para a vítima perceber o golpe e cancelar a operação.

 

Golpe do Zap

 

Segundo a FEBRABAN (Federação Brasileira dos Bancos) o golpe mais comum com o Pix é a clonagem da conta de WhatsApp.

Os criminosos enviam uma mensagem se passando por funcionário de alguma empresa para atualizar cadastro.

Pedem o código para a vítima e aí conseguem replicar a conta de Whats em outro celular.

A partir daí, os golpistas mandam mensagem aos contatos que a vítima tem salvo no celular. Se fazem passar por ela e pedem dinheiro emprestado, pedem para pagar contas pelo Pix…

Como é rápido, muitos não se dão conta do golpe e fazem o que é solicitado.

Quando se dão conta, já é tarde e o Pix já foi feito.

Há também o golpe da falsa central de atendimento, o golpe que entra em contato com a vitima dizendo que deu um “bug no Pix” (uma falha) e outras.

 

Como se prevenir?

Para não cair em nenhuma destas fraudes envolvendo o Pix, a FEBRABAN informou que os clientes precisam tomar cuidado na hora de fazer qualquer transação.

Sempre é necessário checar os dados do recebedor da transação.

O primeiro mandamento para não ser lesado é jamais criar seu cadastro de chave Pix em local duvidoso.

A orientação é que seja apenas em canais oficiais, como o app do banco ou diretamente nas agências.

A segunda dica é: desconfie.

Se alguém pedir dinheiro emprestado pelo Whats, se alguém oferecer dinheiro em dobro via rede social ou se passar por um funcionário do banco que lhe telefona para resolver uma pendência…

Desconfie.

 

 

Abra o olho e desconfie

Jamais o cliente deve clicar em link recebido por e-mail ou pelo WhatsApp, ou mesmo em redes sociais.

-Nunca publicar seus dados pessoais, como CPF e outros documentos em supostas promoções de redes sociais.

-Não aceitar quando alguém se passe por funcionário de banco que usa o telefone para resolver alguma pendência.

 

Caí no golpe, o que faço?

Se você perceber que caiu em um golpe, a primeira coisa que precisa fazer é informar ao banco.

Em seguida, fazer o boletim de ocorrência na polícia.

Os bancos não tem responsabilidade direta sobre isso. Eles só respondem por golpes dentro de seus sistemas.

No caso do aplicativo, o Pix foi feito pelo correntista.

Mas nada assegura que o dinheiro vai ser ressarcido pelo banco.

Caso a caso, segundo a FEBRABAN, é analisado para ver se o cliente tem direito ao estorno ou reembolso.

Como seguro morreu de velho. Então, o jeito é desconfiar, antes que dê Pix!