Um antigo conselho, corrente entre empresários em geral, diz que se deve cortar custos como se fossem as próprias unhas.

Mal começou a crescer, tesoura nelas.

Mas, e quando a própria natureza da despesa dificulta o controle da perda de dinheiro?

Bem, aí o jeito é trocar de ferramenta.

No mercado financeiro, a solução para sua empresa pode estar na prateleira dos bancos digitais.

Neste post, vamos tricotar os motivos que podem levá-lo recortar uma nova forma de lidar com as despesas financeiras de seu negócio.

A conversa promete ser bem afiada.

 

O que são os bancos digitais?

Bancos digitais são instituições financeiras que, como o nome já diz, atuam de forma 100% online. As operações ocorrem por site ou aplicativo – ou os dois juntos.

A exemplo dos chamados ‘bancões’ – Banco do Brasil (BB), Bradesco, Caixa Econômica Federal (CEF), Itaú Unibanco e Santander – os bancos digitais são regulamentados pelo Banco Central.

Os bancos digitais operam desde 2016 no Brasil. Entre os principais estão Nubank, Inter, C6 Bank, Neon, entre outros. A lista já passa da casa das duas dezenas.

Anúncios

Engana-se que pense que, por serem tão jovens, estas instituições financeiras ainda estejam ‘engatinhando’ no mercado.

O Nubank, por exemplo, já é a sexta maior instituição financeira do país – abaixo apenas dos cinco ‘bancões’ citados aí acima.

 

Ah, meus custos bancários…

Você, empresário (a), que o diga. Não são poucos e, não bastasse isso, a recorrência é mensal, semanal, diária.

Levantamento recente feito pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups) apontou os serviços financeiros mais utilizados por micro, pequenas e médias empresas no país.

Confira este recorte:

  • Débito automático em conta corrente: 8%
  • Saque com cartão de débito em caixas eletrônicos: 9,4%
  • Recebimentos e transferências por meio de DOC/TED: 13,4%
  • Folha de pagamento: 5,5%
  • Cartão de crédito corporativo: 7,5%
  • Pagamento de contas: 14,5%
  • Emissão de boletos bancários registrados: 7,8%
  • Outros: 33%

A necessidade de parte ou da totalidade destas demandas impacta diretamente no custo de manutenção dos serviços financeiros pelas empresas.

 

Ok, mas os bancos digitais reduzem os custos de serviços financeiros da minha empresa?

Esta mesma pesquisa da ABStartups foi realizada em 2016 – justamente quando ‘chegaram’ os bancos digitais, como dissemos acima.

Em diálogo com o mercado, mais de 500 empresários apontaram um modelo ideal de banco para atender suas necessidades a partir de quatro pilares:

  • 100% digital
  • Atendimento personalizado
  • Baixa burocracia
  • Taxas mais baratas

Naquela mesma época, começaram a surgir os primeiros bancos digitais que, na esteira desta necessidade de mercado, passaram a oferecer condições melhores que a do mercado convencional.

Atualmente, os bancos digitais dispõem de contas específicas pata negócios. Confira algumas abaixo e analise como poderiam impactar na redução de seus custos.

 

Banco Inter

Foto: Reprodução/Banco Inter

Antes de ter sua conta de PJ (Pessoa Jurídica), é preciso ter a física. A aprovação da abertura é mediante análise de documentação. Há uma modalidade específica de atendimento para MEIs (microempreendedores individuais). Confira os benefícios oferecidos pelo Banco Inter:

  • 100 boletos gratuitos por mês
  • 100 TEDs gratuitos por mês
  • Cartão de débito sem anuidade (para ter o de crédito, bata solicitar)
  • Folha de Pagamento ilimitada
  • Maquininha de cartão para recebimento de pagamentos com cobrança de taxas
  • Saques ilimitados nos caixas 24 horas

 

Nubank

Foto: Reprodução/Nubank

A exemplo do Inter, é preciso ter conta de pessoa física para abrir apenas uma PJ no Nubank. Confira os benefícios oferecidos por este banco digital:

  • Boletos de pagamento e de depósito sem taxas
  • Conta sem taxa de manutenção mensal
  • Transferência para outros bancos sem taxa

 

Agibank

Foto: Reprodução/Agibank

Eis aqui um exemplo de banco digital mais próximo do modelo pensado pelos empresários da pesquisa da ABStartups que das condições oferecidas por este mercado. Confira abaixo os benefícios e entende o porquê:

  • Apenas quatro boletos e TED/DOCs mensais gratuitos. Cobrança de R$ 1,90 a partir do quinto
  • Apenas quatro saques gratuitos por mês e só dois em casas lotéricas. Cobrança de R$ 6,49 e R$ 3,99 a cada um que exceder o limite, respectivamente.
  • Cartão de débito e crédito sem anuidade
  • Taxa de manutenção gratuita da conta

 

Banco Original

Foto: Reprodução/Banco Original

Outro caso de banco digital cujas condições também se assemelham a de um banco convencional. O Original dispõe de duas modalidades de conta PJ. Confira:

Conta Original Empresas Básico:

  • Taxa mensal de manutenção de R$ 19,90
  • R$ 5 para TEDs
  • R$ 6 para saques
  • R$ 20 para pagamentos

Conta Empresas Ilimitado

  • Taxa mensal de manutenção de R$ 49,90
  • TEDs, saques e pagamentos ilimitados
  • Disponibilidade do serviço de maquininha para cartões

E agora, o que faço?

Os exemplos citados acima são apenas uma amostragem diversa de modelos de contas PJs mesmo entre os bancos digitais.

O próximo passo é examinar se alguns deste – e tantos outros, que o mercado de bancos digitais e convencionais – se encaixa na realidade de sua empresa.

Uma coisa é certa: você precisa ser o tesoureiro do seu negócio o tempo todo. Quem não corta os custos corre o risco de perder a mão nos negócios.