Você acompanhou por meses o noticiário falando da disputa entre quem era o homem mais rico do mundo. Ou qual a empresa mais valiosa do mundo. Apple, Amazon, Tesla, Google, Facebook…

Enquanto seu foco era atraído para isso, uma criptomoeda se tornou mais valiosa que a Ford e o Twitter em valor de mercado. E provavelmente você nem tenha ouvido falar dela, sequer saiba o nome…

Mas como assim? Pois é, a Dogecoin saltou cerca de 40% e viu seu valor de mercado chegar a 70 bilhões de dólares, o que significa que ela vale mais que os 45 bi da Ford ou os 44 bi do Twitter.

Mas, afinal, o que é Dogecoin?

Pois é, se você não está mergulhado no mundo dos criptoativos é bem provável que nem saiba do que estamos falando.

Gostou deste conteúdo? Fica por aqui que este post vai trazer tudo sobre a Dogecoin e sobre o mercado de criptomoedas que está atraindo a atenção dos investidores.

 

Saiba qual é a criptomoeda que vale mais do que a Ford e o Twitter

Você já sabe que o Bitcoin é apenas uma criptomoeda. A primeira e a mais valiosa delas.

Mas além dele, há outras centenas ou milhares de criptoativos sendo negociados a cada segundo no mundo todo.

Pois bem, uma destas criptomoedas se chama Dogecoin. Ela é conhecida como criptomoeda meme. Sabe por quê?

A Dogecoin foi criada em 2013. Dois engenheiros de software Billy Markus e Jackson Palmer, criaram esta moeda como um meme, baseado no cão japonês Shiba Inu, que bombou nas redes naquele ano.

Anúncios


Foi apenas uma brincadeira para ser uma alternativa ao Bitcoin. A ‘altcoin’ (moeda de menor valor) foi crescendo aos poucos entre as comunidades online e chegou aonde chegou.

Em janeiro de 2021, valia US$ 0,004. Hoje passa dos US$ 0,55, uma valorização de cerca 13.650% no acumulado apenas neste ano. Só em abril, foram quase 7.000%.

Este crescimento todo ocorre por conta de Elon Musk, dono da Tesla, ter falado dela. Onde ele coloca a mão ou quem ele coloca em seu Twitter, a valorização dispara. E valorizou mais que o próprio Twitter.

Outro motivo é devido ao fato de ter sido listada em mais exchanges, corretores de criptomoedas, ou seja, aumentando sua aceitação.

Este criptoativo valorizou tanto que ficou atrás apenas de Bitcoin, Ether, Binance Coin e XRP. E, na variação, já chegou a ficar a frente da XRP, como quarta maior cripto.

 

Entenda por que o mercado de criptomoedas chamou a atenção dos investidores

 

A busca por investimentos em moedas digitais vem em uma crescente há alguns anos.

Conforme um levantamento de 2018, que é um dos mais recentes, mais de 1,4 milhão de pessoas investem em moedas digitais no Brasil.

A informação é Mercado Bitcoin, corretora de criptoativos. É um número tão expressivo que nem a bolsa de valores tinha tantos CPFs investindo individualmente até 2018.

A alta procura por investimentos em criptoativo, normalmente, tem um único motivo: alta rentabilidade.

E não foi apenas a Dogecoin que explodiu neste ano. Outras altcoins, como a Chiliz, tiveram grande valorização.

A moeda mãe de todas, a primeira, também tem tido um crescimento exponencial. A valorização do Bitcoin é tanta que ultrapassou os 300 mil reais. E já chegou a 360 mil em abril.

Para se ter ideia, em outubro passado estava valendo 60 mil reais. A valorização grande fez com quem uma chuva de investidores aportasse no mercado de criptoativos.

Outra informação que demonstra o gigantismo deste mercado é que somente brasileiros movimentaram mais de 49 mil Bitcoins em janeiro deste ano.

Pelas plataformas brasileiras, as exchanges, foram mais de R$ 9,4 bilhões em criptoativos, conforme levantamento do Cointrader Monitor

 

Saiba o que levou investidores ao mercado das moedas digitais

O que muitos não sabem é que rentabilidade alta também é sinônimo de risco alto, uma vez que o mercado não para e tem grande volatilidade.

No mercado tradicional, o retorno do investimento depende do valor aplicado e de uma série de variantes, inclusive políticas.

Isso não acontece no mercado de criptomoedas que, em geral, está sempre em constante valorização.

Quem entra neste mercado procura um grande retorno em um curto espaço do tempo. Normalmente esta é a característica básica.

A grande volatilidade do mercado permite que as criptomoedas tenham valorizações absurdas em pouco tempo.

Tanto para cima, como para baixo, daí o risco. Sem contar a falta de regulação por parte de governos.

 

Quais as dicas para quem pretende investir em criptomoedas

Uma dica para quem quer começar a investir em cripto, mesmo sem ter conhecimento, é, pelo menos, diversificar os investimentos.

É aquela história de colocar um ovo em cada cesta. Investir no mercado tradicional traz mais segurança.

Outra parcela poderia estar em criptoativos para buscar mais valorização em alguma tacada de mestre, que é o sonho de muitos.

O mercado de criptomoedas funciona com a compra e venda de moedas, na forma de oferta e demanda.

O lucro com o mercado vem das operações feitas em cima das oscilações de preço dos ativos.

Para conseguir bons ganhos, assim como na Bolsa de Valores tradicional, é necessário identificar essas movimentações e saber o tempo certo de comprar ou vender.

Mas é um mercado bem diferente, sem qualquer regulação, tanto que as comparações param por aí. Pelo menos, por enquanto.