Bitcoin. 7 letras.

São apenas 7 letras, mas sempre que esta palavrinha surge em algum lugar, dá o que falar.

Seu nome é tão forte que virou sinônimo de criptomoeda.

Não entendeu? Sabe o Miojo? Então, Miojo não é um produto, é a marca de um macarrão instantâneo.

Quer outro exemplo? Cotonetes. Não, cotonete não é aquela coisinha que você empurra a cera do ouvido para dentro, é apenas a marca mais famosa dentre as hastes flexíveis.

Trocando em miúdos, Bitcoin está para criptomoeda assim como Bombril está para esponja de aço, Ban-Aid para curativos adesivos, Gillette para lâmina, Maizena para amido de milho.

Afinal, o que é criptomoeda

São moedas digitais. Ponto.

São criptoativos que usam a tecnologia blockchain.

Elas são confeccionadas (mineradas, termo mais técnico) baseadas na criptografia.

Xi, não entendi nada, de novo.

Se até agora estamos falando grego – ou japonês – para você, fica tranquilo, até o final do texto a gente garante que você vai entender tudo.

Já que falamos em japonês, quem criou o Bitcoin foi um nipônico: Satoshi Nakamoto. Guarde este nome.



Saiba como elas funcionam

De uma vez por todas, você precisa entender como funcionam as moedas digitais. E o Bitcoin é só uma delas. Ou mais que isso: a mais importante delas.

As moedas digitais não têm um governo para regulamentá-las ou para dar as ordens.

Da mesma forma, para auferir a transferência, elas não precisam de uma autoridade central, tipo o Banco Central.

Por este motivo, garantem que o proprietário ‘do cofre’ possa permanecer no anonimato, porque não é preciso registrar os dados pessoais. Por enquanto… Mais isso é uma outra história!

Entenda porque elas mudaram o mundo

Essa é a característica-chave do dinheiro digital, pois o torna seguro e resistente à censura de governos ou dos grandes conglomerados e especuladores.

As criptomoedas mudaram a forma de administrar as transações eletrônicas.

Pode demorar, mas as moedas digitais podem ser, como se diz no popular, o dinheiro do futuro.

Se é assim, você precisa aprender logo para não ser enganado e, principalmente, para investir neste negócio.

Mesmo que igual ao bebê que está deixando de engatinhar e ainda não sabe dar o primeiro passo.

 

Qual a diferença entre criptomoeda e Bitcoin?

Já respondemos esta pergunta mais acima, mas vamos lá.

Assim como aquela charadinha da infância, todo Bitcoin é uma criptomoeda, mas nem toda criptomoeda é um Bitcoin.

O Bitcoin foi a primeira criptomoeda, criada por Satoshi Nakamoto em 2009. E hoje é a mais valiosa e mais importante delas.

Cada criptomoeda tem uma característica e é isso que dá valor a elas. Atenção para o sentido da palavra ‘valor’ aqui. Não estamos falando de preço, mas da relevância de cada uma. Ou seja, é a reputação de cada moeda digital.

Hoje em dia, existem mais de 1.000 criptomoedas registradas no coinmarketcap, que detém informações de todas elas.

 

Confira a diferença de cotação entre elas

Já que falamos em preço, vamos pinçar a cotação de cinco das mais importantes.

Não custa repetir: a variação é grande, portanto, entre a escrita deste texto e a sua leitura, a coisa pode ter mudado da água pro vinho.

Mas citar os preços de cada uma é importante para você ter noção do valor de cada uma delas.

 

1 Bitcoin (R$ 250.000)

1 Ethereum (R$ 9.500)

1 Bitcoin Cash (R$ 3.700)

1 Litecoin (R$ 1.100)

1 Binance Coin (R$ 695)

 

 

Saiba como entrar neste mercado

 

Para entender o funcionamento deste mercado não é o bicho de sete cabeças como você pensa.

Assim como a moeda de papel, quem tem na mão pode fazer compras.

Mas em vez de você fazer uma TED ou pagar em dinheiro vivo, faz a transferência via app, mas sem dinheiro físico, com criptomoeda.

Não são todos os locais que aceitam este pagamento. Mas é questão de tempo…

Se você quer entrar neste mercado, primeiro você precisa comprar uma moeda ou uma fração dela.

Isso você pode fazer nas corretoras, estas convencionais que se conhece.

Procure uma que trabalha com moeda digital ou então diretamente nas exchanges, as corretoras de criptomoedas.

Elas não só fornecem como intermediam a compra e a venda.

 

Como se proteger?

Diferente da moeda em papel, que você pode guardar no banco ou no embaixo do colchão, a moeda digital fica guardada em uma conta digital.

Então, sempre que for efetuar a compra procure se proteger.

Busque mais informações com sua corretora, tenha um wi-fi seguro, um bom antivírus e faça o fator duplo de autenticação para ter mais garantias.

Mas o mais importante é: não pare. Se informe para ganhar confiança e aprender.

Investimento é como caminhar no pântano, jamais caminhe onde você não se sinta seguro.