Além de milhares de vítimas pelo Brasil, a pandemia da covid-19 tem interferido diretamente na mesa de todo mundo.

Itens comuns à cesta básica como óleo de soja, tomate (olha ele aí de novo!), arroz, feijão e linguiça ficaram cada vez mais caros ao longo de 2020.

E, se não houver nenhuma novidade na economia – ao menos, até que a vacina, enfim, chegue – os reflexos no prato (e no bolso) devem continuar na mesma toada em 2021.

Por conta disso, selecionamos aqui sete dicas para você economizar na próxima vez que for ao mercado ou solicitar sua compra online.

1 – Tenha a lista em mãos

Foto: Divulgação

Parece bobagem recomendar o óbvio: saber exatamente o que você vai comprar. Ou seja: ter à mão, item por item, o que você precisa levar (ou trazer) para casa.

Ok, acontece de se lembrar de algo que ficou de fora e possa ser incluído na lista para não precisar arranjar tempo para comprar de novo.

Se a compra for presencial, o apelo da variedade de produtos e possibilidade no supermercado é uma tortura. Mas, contenha-se. Tente, pelo menos.

2 – Saiba o quanto vai gastar

Outro ‘detalhe’ que costuma passar despercebido na rotina de muita gente: saber o quanto o bolso permite para o que se pretende comprar.

A pessoa entra no supermercado ou vê aquele site colorido e pensa que está na Disneylândia, onde pode viver o mundo da fantasia.

Resultado: excede na compra, compromete o orçamento, esfola o cartão de crédito, reclama do salário e paga ainda mais ao final do mês.

Anúncios

3 – Tem promoção? Aproveite!

Foto: Divulgação

Se o(s) supermercado(s) que você costuma fazer compras costuma fazer aquelas promoções semanais, coloque no seu calendário aí.

Se for para economizar, são sempre bem-vindos aqueles descontos mais generosos, aquele dia de feirinha, aquela semana de vinhos…

Apenas cuidado para não provocar o ‘efeito reboot’: economiza de um lado e gasta do outro, no corredor ao lado do supermercado.

4 – Pesquise!

Em se tratando de promoções, não custa nada dar uma olhada geral no que os outros supermercados andam oferecendo.

Vale a pena verificar se aquele descontão oferecido pela loja que você sempre visita ou compra é o melhor mesmo da praça.

For o caso, divida suas compras em mais de um lugar, para aproveitar o preço. Estratégia também vale dinheiro. Vai pela gente.

5 – Encheu o carrinho? Cuidado!

Foto: Divulgação

Quer saber se a sua compra saiu do controle?  Dê uma olhada em seu carrinho: o volume dele vai te ajudar na resposta.

É claro que a quantidade depende da demanda lá de casa, mas você precisa ficar atento ao que escolheu para enchê-lo.

Não raro, parte desta montanha que você construiu está sustentada em coisas que acrescentou pelo impulso – e não pela lista inicial.

6 – Considere comprar no atacado

Parece até contraditório acabar de alertar sobre quantidade de compra e recomendar uma visita a um atacado.

Mais uma vez, o peso que vale aqui é o da economia do seu bolso, no sentido de orientar até comprar mais, porém melhor.

Compare os dois preços – de atacado e de varejo –, com os demais praticados por aí, e analise se o ‘atacarejo’ compensa em sua economia, ou não.

7 – Não basta comprar, tem que examinar

Foto: Divulgação

Apesar da pandemia, eis aqui uma vantagem para quem pode se deslocar ao supermercado em comparação às compras online.

Não basta apenas pagar menos. É necessário conferir a qualidade e a validade do produto, quando for o caso.

É o tipo de coisa que só se garante pessoalmente, observando. Não se esqueça de manter as mãos higienizadas o tempo todo!

8 – ITEM BÔNUS: Supermercados x crianças: tudo a ver?

Foto: Divulgação

Além da inflação, do achatamento do salário, do aumento dos impostos e daquela etiqueta mais cara do que o anúncio, há ainda outro e temível fator para ruir a economia nas compras de supermercados: crianças.

Elas costumam ser as primeiras a providenciar tudo que não precisaria estar na lista de compras – sim, para muitas delas, o supermercado é a ‘Disneylândia’ do consumo.

Mas, há sempre o lado positivo das coisas. For o caso, coloque-a para te ajudar e explique a ela sobre a importância da compra consciente, inclusive no supermercado. Vai que você consegue!