A pandemia de Covid-19 causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) acabou gerando a necessidade de distanciamento social e isolamento para a população dos países atingidos, visando conter a propagação da doença.

Para atender a essas recomendações, muitas empresas optaram por continuar o trabalho de seus servidores na categoria chamada de home office, “escritório em casa” em tradução livre.

O trabalho home office tem muitos pontos positivos para o colaborador: não perder tempo no trânsito, já que não há necessidade de se deslocar até o local de trabalho, a economia com combustível ou passagem e até com despesas referentes à alimentação. Isso tudo, claro, aliado ao conforto de ficar em casa.

Mas nem só de pontos positivos é feito o trabalho home office, também há inúmeras desvantagens. Em casa, o colaborador está mais propenso a distrações: família, animais de estimação ou mesmo problemas do ambiente em que mora.

É preciso muita disciplina e concentração para realizar as atividades em seu lar, sem que isso cause uma queda de produção. Outro problema é relacionado às tecnologias.

Muitas empresas têm planos de internet com velocidade superior para que seus colaboradores realizem um bom trabalho com conforto e agilidade e muitas vezes seu plano residencial não oferece o mesmo. Além disso, o computador do trabalhador pode ser mais antigo e não se adaptar a softwares específicos.

E claro, a falta de interação com colegas de trabalhos e clientes pode dificultar o trabalho dos servidores e fazer com que tarefas sem uma orientação presencial tornem-se mais complicadas.

Algumas medidas podem ser tomadas para tornar esse processo mais prático e profissional: organize seu dia-a-dia, separe um tempo específico para realizar seu trabalho, faça pausas, vista-se e procure se concentrar.

Mantenha contato com colegas de trabalho e procure fazer suas tarefas tão bem quanto faria presencialmente. O trabalho home office tem aspectos positivos e negativos, mas depende sobretudo de você para torná-lo melhor.