Mais uma empresa brasileira tem ações negociadas na bolsa de Nova York. Desta vez é empresa da Embraer de ‘carros voadores’.
A startup Eve, da Embraer, cujo objetivo é desenvolver ‘carros voadores’, passou a ter ações na NYSE no último dia 10 de maio.
A entrada na bolsa de Nova York ocorre em função da fusão da Eve com a americana Zanite Acquisition.
Entenda como ocorreu a negociação e como tudo aconteceu, conferindo nosso post até o final. Bora?

Veja como Empresa da Embraer de ‘carros voadores’ lança ações na bolsa de Nova York

A Eve é a startup da Embraer, ao passo que a Zanite é uma empresa americana de aquisições voltada ao setor de aviação.
Como a Zanite Acquisition tem capital aberto, as ações passaram a ser negociadas na bolsa.
Com a fusão, a empresa americana mudou seu nome para Eve Holding e retirou suas ações da Nasdaq na segunda, 9.
Com isso, as ações ordinárias e os bônus de subscrição começaram a ser negociados na Bolsa de Valores de Nova York, a NYSE, na terça.
Para você acompanhar o desempenho, pode procurar por “EVEX” e “EVEXW”, respectivamente.

Entenda mais sobre o negócio de carros voadores

A fusão entre as duas empresas foi um passo relevante para a Eve.
Desta forma, ela pode levantar capital para desenvolver seu projeto de eVTOL, o carro voador.
Este ainda é um mercado embrionário, mas visto no mercado de aviação e também no ramo da mobilidade urbana como revolucionário.
No entanto, o número de startups que competem para desenvolver o carro voador mais eficiente é grande.
Além disso, a corrida para obter a primeira certificação de veículo junto a órgãos reguladores, especialmente na Europa e EUA, move esta corrida bilionária.
Ao passo que a Eve trabalha no desenvolvimento de um carro voador, a Zanite nunca teve objetivo de desempenhar uma atividade semelhante ou mesmo vender o produto.
O objetivo da americana sempre foi usar os recursos levantados no IPO, a abertura do capital para comprar uma empresa operacional já existente.

Confira os números da transação entre Eve e Zanite

Em relação a fusão, a Embraer ficou com 238,5 milhões de ações ordinárias da recém-criada Eve Holding.
Este total representa 90% das ações com direito a voto da empresa.
As demais ações ordinárias, que são remanescentes, ficaram com os acionistas e patrocinadores da Zanite, assim como investidores.
A Eve Holding provavelmente vai captar mais de US$ 500 milhões com a operação.
Antes disso, quando foi feito o anúncio da fusão, em dezembro, a transação atribuiu valor à Eve de US$ 2,9 bilhões.
Em maio, no dia 6, quando fechou a operação, foi realizada uma operação Pipe, ou seja, aquisição de capital acionário, no valor de US$ 357,3 milhões.
Dessa quantia, US$ 185 milhões veio da Embraer, em troca de 18,5 milhões de ações ordinárias da Eve.
O restante do valor veio de controladores da Zanite e de um consórcio entre investidores estratégicos, como o Acciona, Bradesco, linhas aéreas Falko, Azorra Aviation, além da montadora Rolls-Royce, assim como BAE Systems, SkyWest Inc., Thales USA e Space Florida.

Veja o pronunciamento da Eve e saiba mais sobre o eVTOL da Embraer

O co-presidente da Eve, André Stein, destacou que foi um marco a fusão e a entrada da Eve na NYSE.
Em nota, destacou que agora haverá capital e suporte estratégico para a empresa atuar mais pesado na aceleração do ecossistema global de mobilidade aérea urbana.
Em suas palavras, disse que “essa transação fornece à Eve o capital de crescimento e bom posicionamento para seus planos de desenvolvimento”.
Mas o que significa eVTOL?
O nome do táxi aéreo elétrico vem do inglês, sendo uma junção de siglas para transporte voador.
Ou seja, ‘e’ de electric e ‘vtol’, misto de carro voador e helicóptero elétrico, que tem objetivo de revolucionar a mobilidade urbana.