A realidade econômica imposta pela pandemia do novo coronavírus tem levado muita gente a recorrer a empréstimos para saldar seus compromissos.

Para ‘ajudar’, a restrição imposta ao funcionamento das atividades econômicas em muitas cidades dificulta ainda mais a procura dos prestadores desde tipo de serviço.

Não resta outra alterativa senão acessar, literalmente, os canais digitais em busca das melhores opções de crédito.

Diante de tantas alternativas que aparecem na tela, em uma rápida pesquisa no Google, a pergunta que se faz é: dá para confiar?

Bem, vai depender de como você costuma analisar as ofertas que aparecem para você. É o que vamos te orientar, neste post, em relação à busca de crédito.

Anote aí das dicas.

1 – Dê uma geral no site

Sabe aquele conselho sobre como as empresas falam de si mesmas a começar pela aparência de suas fachadas?

Pois é, vale também para o site. Seja uma página simples ou recheada de informações e recursos, fique atento a alguns detalhes:

Segurança: repare se há um cadeado ao lado do endereço do site. Se não tiver nem isso, desconfie.

Extensão: termina em ‘.com’ ou ‘.com.br’? Caso não, verifique se a que estiver em uso está registrado ou não.

2 – Levante informações sobre a empresa

Não restrinja seu conhecimento sobre apenas somente ao que ela consta no menu ‘quem somos’ (ou outro semelhante).

Anúncios


Verifique se consta o CNPJ da empresa e verifique sua situação no site da Receita Federal. É simples e rápido.

Sonde ainda o que o mercado fala sobre a empresa – veículos de comunicação, sites, blogs – e procure saber quem já fez negócio e o que aconteceu.

3 – Informe-se a antes, pague depois

O primeiro indício de que você possa estar caindo numa furada é quando a empresa cobra, de cara, algum tipo de pagamento.

Primeiro porque não faz sentido: quem está captando dinheiro é você, não o suposto prestador de serviço financeiro.

Pagamento mesmo você faz – e deve fazê-lo mesmo, sob risco de pagar mais juros ainda – depois que receber o que contratou.

4 – Lupa nas letras miúdas!

Quem busca crédito precisa estar atento muito além do que as empresas destacam em suas propagandas coloridas com pessoas felizes.

A sua cara promete ficar muito diferente se você descobrir depois que contratou crédito em condições diferentes do que esperava.

Por isso, leia atentamente o contrato e busque de certificar do custo total do seu empréstimo – pagando ou não em dia.

5 – Cuidado com suas informações pessoais

É cada vez mais comum que as empresas disponibilizem simuladores em seus sites para que você próprio possa verificar as condições oferecidas.

Só vá em frente após checar sobre a prestadora do serviço ou, livre e espontânea responsabilidade, depositar sua confiança.

Nunca forneça senhas, seja de cartão de crédito ou de algum benefício. Este tipo de informação é pessoal.

6 – For o caso, denuncie!

Se ao fazer este ‘check-list’ acima você perceber que uma empresa não se encaixa nas exigências apontadas, algo pode estar errado.

A hipótese de insistência no recebimento de algum valor de forma adiantada pode revelar a trama de um golpe.

Se constatar que foi lesado, não titubeie: acione canais de reclamação e, em casos mais sérios, comunique a polícia e/ou acione a Justiça.

7 – Dica bônus

Bem, depois de tudo que você leu aqui, a melhor dica possível é: seja prudente na busca de crédito, a começar pela contratação.

Se a situação exige a busca por um empréstimo, ok, mas seja muito criterioso(a) na escolha da financeira, do banco ou correspondente.

Afinal de contas, você precisa de dinheiro para resolver suas pendências, fazer algum investimento e não para ‘pagar pra ver’ mais um problema, certo? Boa escolha!