Quando você precisa solicitar um empréstimo, a cabeça começa a fervilhar em dúvidas.

As dúvidas são as mais variadas possíveis, a começar pelo tipo de empréstimo.

É melhor o crédito pessoal ou o consignado, por exemplo?

Neste post vamos trazer algumas dicas e sanar as 10 principais dúvidas.

Vale sempre a dica para cuidar com o famoso “barato que sai caro”.

As vezes, por ser fácil de conseguir, um determinado tipo de empréstimo pesa mais no bolso.

E se isso me deixar negativado, o que posso fazer?

Para ter estas e outras respostas, confira o post a seguir:

 

1 – Qual a diferença entre empréstimo pessoal e crédito consignado?

Empréstimos consignados são concedidos somente para aposentados e pensionistas do INSS, funcionários públicos e para trabalhadores com carteira assinada.

Algumas instituições exigem que a pessoa que irá solicitar o empréstimo seja correntista para ter uma garantia mínima de cobrança.

Anúncios


Já o empréstimo pessoal é um tipo de crédito que as financeiras ou os bancos fazem sem impor muitas condições.

Geralmente é feita uma análise para garantir se o cliente tem condições de pagar e, se for aprovado o crédito pessoal, o dinheiro é liberado direto na conta.

Justamente por não exigir muita coisa do cliente antes, é que o empréstimo pessoal é um dos mais caros, com as maiores taxas de juros do mercado. O famoso barato que sai caro.

 

2 – É melhor o empréstimo pessoal ou o crédito consignado?

Pelo já exposto no item anterior, a melhor opção é o crédito consignado.

Como você recebe seu salário ou aposentadoria todo mês, não vai ter como atrasar o pagamento da dívida.

Então, esta garantia faz as taxas serem menores. E isso é o melhor para seu bolso.

 

3 – É possível pedir empréstimo com nome sujo?

Talvez, nesta condição, seja difícil um empréstimo no banco, mas não nas financeiras.

Estas, sim, fazem empréstimo mesmo se você estiver negativado.

A questão que você precisa prestar atenção é nas taxas de juros, que devem ser bem mais altas que as normalmente praticadas no mercado. Vale a pena? É bom se perguntar…

 

4 – Até que valor é possível pegar de empréstimo pessoal?

A resposta para esta pergunta depende da renda.

Se você precisa de um empréstimo e é correntista do banco, normalmente já tem um limite pré-aprovado de crédito pessoal.

Caso tente um empréstimo pessoal em outro banco ou de valor maior, vai precisar fazer uma análise de crédito.

Para saber o valor máximo que poderá solicitar, a sugestão é utilizar o simulador da própria instituição.

Mas, voltamos a primeira linha deste tópico: vai depender da sua renda.

Já em caso de empréstimo consignado, o limite de seu crédito será de até 30% de seus rendimentos totais.

 

5 – Em que local é mais fácil fazer empréstimo?

Quanto ao local onde fazer o empréstimo dependerá de sua opção.

Considere sempre analisar com calma os critérios e as taxas de juros.

Você pode solicitar um empréstimo em bancos, nas financeiras ou mesmo em lojas de varejo.

O banco onde você tem sua conta pode ser a melhor opção, porque ele já tem seu histórico financeiro.

 

6 – Posso ter mais de um empréstimo?

Sim, não é o número de empréstimo que determina se você pode ou não.

Não há limites de empréstimos, diferente do financiamento imobiliário, onde as regras são outras.

Neste caso do crédito pessoal, a concessão de um não impede a solicitação de outros empréstimos, desde que atenda aos critérios da instituição.

A questão é que, quanto mais empréstimos você tiver, mais você tem comprometida sua renda.

Com isso, menos valor você conseguirá nos próximos empréstimos.

Ou seja, menores são as chances de outro banco ou financeira aprovar um novo crédito para você.

No caso dos consignados, por exemplo, você pode obter empréstimo somente até 30% da renda.

 

7 – O que pode acontecer se eu não pagar o empréstimo?

Esta é uma dúvida muito comum.

Mas deveria ser uma dúvida antes de contrair o empréstimo pessoal.

O que ocorre é que muitos se fazem esta pergunta depois do empréstimo na mão, quando não conseguem mais honrar a parcela.

Caso não consiga pagar em dia, você vai receber uma notificação do SPC ou Serasa.

Estas instituições vão dar um prazo para você quitar a dívida com o banco ou financeira.

Se isso não ocorrer, seu nome vai ficar negativado e vai impossibilitar ou dificultar a aprovação de outros empréstimos ou compras parceladas.

 

8 – Qual a dica em caso de não conseguir pagar em dia?

Como já vimos no tópico anterior as dificuldades em caso de ir parar no SPC, o melhor é tentar fugir disso tudo e manter seu crédito.

A sugestão é procurar o banco ou a financeira para tentar renegociar a dívida.

As vezes, em algumas feiras de crédito ou dependendo da instituição, você consegue rolar a dívida para frente, é claro, com taxa de juros ainda maior.

Caso não obtenha a renegociação, uma alternativa é buscar um novo empréstimo para quitar o empréstimo anterior.

Atente apenas para não contrair um novo empréstimo com taxas de juros maiores do que o anterior.

Neste caso, você não vai estar trocando seis por meia dúzia, estará fazendo um péssimo negócio, mergulhando em um poço sem fundo.

 

9 – O que fazer para não ter dor de cabeça com empréstimo?

Obtido o empréstimo é sempre importante se organizar para o pagamento no dia combinado das parcelas.

Se você ter suas finanças em dia, colocar o pagamento das parcelas como prioridade, você não terá dor de cabeça.

Jamais você receberá uma cartinha do SPC e jamais o banco ou a financeira poderão cobrá-lo por nada. E isso ajudará a melhorar seu score e ainda a conseguir um futuro empréstimo.

 

10 – Quando o empréstimo é uma boa opção?

Para fechar a lista de dúvidas, sim, o empréstimo pode ser uma boa opção.

Pode ser bom contrair um empréstimo no caso de ter taxas de juros menores para saldar um empréstimo ou financiamento anterior com taxas maiores.

Neste item, podemos encaixar o motivo mais importante: quando se tem dívida com cartão de crédito.

Neste caso, não precisa nem fazer as contas, entre ficar devendo a parcela do cartão e buscar empréstimo, a segunda opção é a melhor. A diferença de taxas de juros é muito grande.

Outro bom motivo para buscar empréstimo é para investir em negócios ou estudos, pois trata-se de investimento para o futuro, a fim de não perder oportunidades.

Por fim, buscar empréstimo para limpar o nome também é uma boa opção, pois estando negativado, fica difícil fazer qualquer aquisição ou mesmo conseguir novos empréstimos.

Sem estar com o nome limpo é como andar sem carteira de identidade. Você não sabe quando vai precisar dela, mas quando precisar, não vai tê-la consigo. E aí começam os problemas.