Empréstimo ou financiamento? Vai dizer que você nunca se perguntou o que é melhor?

Pois é, sempre que a gente resolve comprar alguma coisa de maior valor, é a pergunta mais comum que a gente faz.

Seja uma casa, um veículo ou até para resolver alguma pendência urgente, sempre nos vem a cabeça a pergunta: faço um empréstimo ou financio?

Já que é muito comum surgir essa dúvida, neste post você vai descobrir qual é a melhor opção para você!

Para te ajudar nesta missão, vamos trazer um conteúdo de leitura rápida.

São informações importantes para você analisar antes de decidir entre empréstimo e financiamento.

E isso vale na hora de comprar carro, casa ou mesmo para pagar os estudos ou uma especialização. ‘Bora’ lá?

 

Para não deixar o sonho para depois

Às vezes não se trata de realizar um sonho, mas um simples desejo ou necessidade.

É muito comum ouvir por aí que uma determinada empresa quer te ajudar a realizar os sonhos.

Normalmente são bancos, corretoras e empresas de consórcios.

Anúncios


Mas nem sempre se trata de um sonho.

Às vezes, você precisa de um carro para o trabalho, não é um sonho de consumo, é uma necessidade.

Isso vale para adquirir um imóvel ou para uma especialização para crescer na carreira. É uma necessidade, a fim de poder aumentar o salário!

E quando você tem pressa, mas não tem o dinheiro na mão, a saída é recorrer a um financiamento ou empréstimo.

A verdade é que você não precisa adiar seu planos (ou sonhos!) para depois.

Então, o que fazer se o orçamento está apertado, se o dinheiro está curto?

A resposta é financiamento ou empréstimo. Talvez você até pensasse que era tudo a mesma coisa, mas há diferença entre eles. Vamos lá?

 

O que é melhor: empréstimo ou financiamento?

Se você ainda tem dúvidas sobre qual atitude tomar e tem pressa, talvez solução seja recorrer a um empréstimo.

O empréstimo vai liberar o dinheiro de forma mais rápida e não há nenhuma restrição ao uso específico do dinheiro.

Ou seja, poderá usar no que quiser. Não precisa dar satisfação ao banco, o dinheiro é seu e ponto final.

Mas esta comodidade acaba encarecendo a negociação, pois tem taxas maiores.

Pelo simples motivo que a financeira ou o banco te dá o dinheiro e não sabe o que você fará com ele, para depois honrar as parcelas do pagamento.

Então, preste atenção. Se liga que, quanto maior a taxa de juros do empréstimo, mais caro se torna o contrato.

Da mesma forma, quanto maior o prazo de pagamento, mais juros você paga!

 

Financiamento é melhor que empréstimo

Por outro lado, se você sabe para o que vai precisar do dinheiro, pode recorrer a um financiamento que, em geral, é mais vantajoso.

É que quanto mais seguro for o contrato para o credor (geralmente o banco), melhores serão as condições para os clientes.

Então, por exemplo, se você quiser comprar um imóvel, certamente você terá taxas menores de juros se fizer um financiamento.

Ao contrário do que iria ocorrer se você optasse por um empréstimo.

Estas vantagens ocorrem porque, no financiamento o banco tem uma garantia maior do objeto contratado, em caso de inadimplência.

Por isso, em geral, os juros dessa operação tendem a ser mais vantajosos.

E quanto é hora de fazer um financiamento?

Se você precisa de um imóvel para sair do aluguel ou abrir uma empresa, você não precisa esperar.

Você pode comprar o imóvel agora através de financiamento.

Da mesma forma, se você precisa de um carro para trabalhar, você pode comprar ele agora, começar a trabalhar e depois passar a pagar o valor financiado.

 

Como faço para fazer um financiamento?

Caso você tenha optado por fazer um financiamento, a primeira coisa a se fazer é procurar uma instituição financeira que fará uma análise de crédito. Pode ser um banco, uma corretora ou financeira.

Tudo é feito a partir da sua justificativa para o uso do dinheiro, levando em conta o prazo para pagamento, o valor do bem a ser adquirido e seus rendimentos.

Confira alguns tipos de financiamento. Eis os mais comuns:

Financiamento de imóvel

Em geral as taxas estarão diretamente atreladas ao prazo que optar pelo pagamento.

Um prazo maior refletirá num custo efetivo maior devido as taxas de juros também.

Você ainda pode escolher se as parcelas serão fixas ou se elas vão aumentando ou reduzindo no decorrer do tempo!

Outra vantagem de você financiar um imóvel é que você vai dispor do imóvel no ato. Não precisa esperar, como no consórcio.

Outra vantagem é que, apesar das taxas de juros, o imóvel continua valorizando, ou seja, ao final do pagamento você terá um imóvel de valor maior do que o que você contratou.


Financiamento de carro

Há vários tipos de financiamentos de veículos.

O mais comum é o crédito direto ao consumidor, onde a instituição financeira empresta o dinheiro para a compra do carro e depois cobra o valor e os juros em parcelas.

Outra modalidade é o leasing, uma espécie de aluguel do carro, onde você utiliza do veículo, mas só o terá em seu nome quando quitar a última parcela.

Já através do consórcio, os juros são menores, geralmente cobertos pela atualização da carta de crédito, porém, paga-se uma taxa de administração à corretora.

Este é uma das únicas modalidades, onde o cliente vai pagando antes de ter o bem, então, para quem tem pressa, está descartado. Seja para veículo e para imóveis e outros.


Saiba se o financiamento estudantil vale a pena

Deixamos para o final o financiamento estudantil.

Caso as mensalidades do curso desejado não cabem no seu bolso, você pode optar por um financiamento estudantil.

Este é o mais importante, pois além de propiciar uma formação, oferece mais facilidade por conta, normalmente, de incentivos governamentais.

Há diversas modalidades também para financiar seu curso.

Pelo FIES, através de financiamento do governo federal, você poderá optar em financiar parcial ou totalmente a sua mensalidade.

Bancos também oferecem este financiamento, mas geralmente tem como pré-requisito ser correntista da instituição.

A taxa de juros varia muito de instituição para instituição e em geral são baixas.

Há também empresas de créditos especializadas no financiamento estudantil que geralmente tem vínculo com a instituição educacional.

Também as próprias universidades estão ofertando estes serviços.

Neste caso eles permitem o pagamento de parte do valor durante o curso e parte será cobrada somente após a formatura.

O Prouni não é financiamento, mas uma bolsa de estudos e, portanto não se encaixa aqui.