Depois de tanto treinar, jogar e só assistir, você percebeu ser o momento de ficar do outro lado da tela: vai ser um streamer.

Mais do que apenas se divertir, você pode fazer desta decisão uma oportunidade de ganhar dinheiro – até mais do que imagina.

Para isso, você precisa cadastrar-se em uma plataforma que possibilite sua monetização e, de quebra, sua notoriedade.

Neste post, vamos explicar como esse processo funciona na Twitch, uma das plataformas mais badaladas e rentáveis para transmissão de eSports.

Aperte o play aí!

Que parada é essa de streamer e streaming?

Se você é novo no assunto e se interessou em ler este post para possibilidade de ganhar dinheiro (#quemnunca?), vamos ao bê-á-bá.

Streaming é uma tecnologia que permite o consumo de dados da internet de forma instantânea, sem necessidade de download.

É ela que permite que você assista a um filme ou ouça sua música preferida no You Tube ou no NetFlix em sua tevê ou outro dispositivo.

À medida que a internet passou a ‘navegar’ pela banda larga, essas experiências tornaram-se mais viáveis, inclusive para os games.

É aqui que entra a figura do(a) streamer(a): é quem oferece conteúdo, ou seja, transmite áudios e vídeos por uma plataforma.

Como participar da Twitch?

A sua primeira ação na Twitch é se cadastrar. Se você já fez isso, vamos então às formas possíveis de monetização.

Anúncios


1 – Programa de filiados

É a porta de entrada para a monetização na plataforma, desde que atenda a quatro exigências:

  • Ter pelo menos 50 seguidores
  • Ter, ao menos, três expectadores simultâneos ou mais.
  • Transmissão de 500 minutos totais
  • Transmissão exclusiva em sete dias

Ao fazer a adesão ao programa, a Twitch envia um e-mail, pelo qual o futuro streamer da plataforma deve fornecer mais algumas informações.

Em tempo: é importante preencher corretamente as informações do painel de controle para que os seus seguidores passem a somar pontos.

Essa pontuação permite ao streamer mensurar quem mais assiste seus vídeos e bonifica-los de formas diversas.

Ainda pelo Programa de Filiados da Twich é possível monetizar por três meios:

  • Envio de ‘bits’ pelos espectadores
  • Geração de anúncios
  • Inscrições de usuários

2 – Programa de Parceiros

A depender do seu esforço, dedicação e, claro, popularidade, a tendência é que você aumente sua audiência e suas perspectivas de monetização.

A ponto de ficar habilitado a participar do Programa de Parceiros da plataforma. Para isso, é necessário atende a algumas exigências:

  • Ter uma média de 75 espectadores nas transmissões
  • Transmissão de 25 horas nos últimos 30 dias
  • Transmissão em 12 dias diferentes

Tão logo torne-se um ‘parceiro’, você passa a ter acesso a mais recursos na plataforma para otimizar e personalizar ainda mais suas transmissões.

Dá dinheiro esse negócio mesmo?

Bem, vamos aos números. Ou melhor, às cifras. Ao final, avalie se é mais ou menos isso que pretende ganhar, tão logo seja um(a) streamer.

Em 2019, por exemplo, o astro do esporte eletrônico brasileiro, Alexandre ‘Gaules’, faturou US$ 91 mil (R$ 497 mil) apenas com subscrições.

O também brasileiro ‘Alazonka’ ganhou US$ 318 mil (R$ 1,7 milhão) apenas com adesões para suas transmissões. Está bom pra você?

Mais: segundo estimativa da consultoria Simon-Kucher, o mercado de jogos eletrônicos já movimenta US$ 170 bilhões (R$ 928 bilhões) no planeta.

Quais são as dicas para se tornar um streamer bem remunerado?

A americana Kailey Hankins, conhecida como ‘KBubblez’ no universo dos games sugere alguns caminhos que a tem ajudado em sua monetização:

  • Estabeleça metas graduais de alcance de espectadores e recursos
  • Foque mais em jogos do que em plataformas
  • Interaja com sua audiência, não importe quantas pessoas estejam te assistindo
  • Mantenha uma rotina diária de transmissões
  • Saiba lidar com críticas e haters
  • Trabalhe para torna-se referência em um ambiente de cada vez