O Itaú Unibanco é o banco mais valioso do continente mais uma vez.
O Itáu ultrapassou o Nubank acumulando altas sucessivas de suas ações, enquanto o banco do “roxinho” fechou pregões em queda.
Na última sexta-feira, 14, o Itaú fechou em alta de 9,5% no pregão da bolsa de NY.
Por sua vez, o Nubank fechou em queda de 6,37%, a US$ 8,12 (R$ 44,93).
Em dezembro, a fintech chegou a US$ 41,478 bilhões (R$ 229,5 bilhões) na estreia na Bolsa de Nova York (NYSE).
Um mês depois, vale US$ 37,422 bilhões (R$ 207,1 bilhões).

Confira os números que levaram o Itaú a ser o banco mais valioso

O Itaú foi o grande beneficiado com a desvalorização dos papéis do Nubank.
O banco acumulou uma alta de 9,5% no valor de suas ações e agora é o banco mais valioso de novo.
Com isso, retornou ao topo da lista que já liderou dezenas de vezes.
Um dos motivos que justificam é que o Itaú comprou a corretora digital Ideal na semana passada.
Desta forma, o valor de mercado que era de US$ US$ 36,504 bilhões (R$ 202,02 bilhões) passou a ser US$ 39,147 bilhões, ou seja, R$ 216,65 bilhões.

Entenda os números do Nubank

O Nubank foi ultrapassado pelo Itaú como a instituição financeira mais valiosa da América Latina.
Pois é, o Nubank deixou de ser o banco mais valioso do continente latino americano.
Isso ocorreu após uma queda de 6,37% nas suas ações na última sexta-feira, 14.
O banco digital havia obtido esse título após estrear na bolsa de valores de Nova York em 9 de dezembro.
Os papéis da Nu Holdings tiveram uma desvalorização desde a estreia.
E é em cima do valor da estreia em Wall Street, em 9 dezembro do ano passado, que este cálculo é feito.
No dia da estreia, o Nubank valia US$ 41,478 bilhões, enquanto o Itaú valia US$ 37,799 bilhões.
Como as ações do Nubank caíram e as do Itaú subiram, houve a inversão de ambos os ambos na lista.

Veja quanto valem os outros, além do banco mais valioso da AL

Além disso, não sei se você já sabia, mas há outros grandes bancos brasileiros que estão nesta lista dos maiores da América Latina.
Bradesco, Santander e Banco do Brasil têm valores de mercado próximos dos números do campeão e do vice da lista.
Para você ter ideia, o Bradesco é avaliado em US$ 33,899 bilhões, enquanto o Santander tem cotação de US$ 21,540 bilhões.
Já o Banco do Brasil, o maior banco estatal do país, é avaliado em US$ 15,791 bilhões.
Este levantamento é feito pela Economatica, que considerou o fechamento de segunda-feira, 17.

Conheça os números de outras empresas brasileiras listadas em NY

E já que estamos falando de outros gigantes do setor bancário, tem mais oscilação de mercado envolvendo empresas do ramo.
Não foi apenas Nubank que teve desvalorização.
PagSeguro, Stone e XP também viram recuar o valor de seus papéis. Dá para se dizer que estão no 0 a 0.
Por outro lado, ações do Itaú subiram. E não foi somente do Itaú.
Outras empresas tradicionais do Brasil subiram em Nova York.
Além dos bancos, ações da Petrobras acumulam alta de 13%, e os da Vale, de 10%.

Entenda o motivo da desvalorização do Nubank

A desvalorização dos papéis do Nubank e de outros bancos digitais tem um motivo.
As ações de empresas de tecnologia, como a Nu Holdings, têm estado sob intensa pressão por parte dos investidores.
E isso ocorre em escala global nas últimas semanas.
Outro possível motivo é o início do ciclo de alta de juros nos EUA.
Conheça os 5 maiores bancos da América Latina
E aí, com tantos números e tantos bancos, ficou curioso sobre o setor?
Pois bem, conforme a Economática, temos a lista dos cinco maiores do Brasil na América Latina.
1 – Itaú Unibanco -US$ 39,059 bilhões (R$ 215,02 bilhões)
2 – Nubank -US$ 37,422 bilhões (R$ 206,01 bilhões)
3 – Bradesco – US$ 33,528 bilhões (R$ 184,57 bilhões)
4 – Santander do Brasil -(R$ 117, 88 bilhões)
5 – Banorte – US$ 20,726 bilhões (R$ 114,10 bilhões)
Fonte: Economática