O que é e como funciona a Taxa Selic?

Entenda como a taxa de juros da nossa economia funciona

Escrito em novembro 2, 2020 | Autor: Michelle Verginassi
O que é e como funciona a Taxa Selic?

Selic é uma sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Ela é a taxa básica de juros da economia brasileira. Isso quer dizer, na prática, que a taxa Selic funciona como o lastro para as taxas de juros cobradas em empréstimos, financiamentos, e também pode afetar diversos tipos de aplicações financeiras.

O Sistema Especial de Custódia, é também um sistema administrado pelo Banco Central, que é usado para a negociação de títulos públicos federais. Essas operações são empréstimos de curto prazo, que vencem em um único dia, e são realizados entre as instituições financeiras brasileiras.

A taxa de juros média referente a esses empréstimos entre instituições financeiras recebe o nome de Selic efetiva, ou Selic Over.

Além dessa taxa, há também a Selic Meta, que é a mais conhecida entre os brasileiros, e é oficialmente considerada a taxa básica de juros do Brasil, servindo de lastro para várias operações financeiras do mercado.

Neste artigo, falaremos mais sobre a Selic Meta, devido a sua importância para a economia brasileira, e em como ela impacta a mesma.

Mas qual a função da Taxa Selic? E como ela impacta a economia brasileira?

Agora que já definimos o conceito da Taxa Selic, vamos falar sobre a sua função e como ela afeta a economia do nosso país.

A Selic foi criada em 1999, e é um dos sistemas da estratégia brasileira de controlar a inflação. Dessa forma, ela é muito importante para garantir a estabilidade econômica e evitar o descontrole dos preços.

Mas como a taxa Selic auxilia o governo a manterá inflação sob controle? A estratégia da política monetária brasileira é controlar a quantidade de dinheiro circulando na economia.

Dessa forma, a lógica por trás dessa estratégia funciona da seguinte maneira: se há muito dinheiro disponível, a tendência é o aumento do consumo. Se há aumento na demanda por qualquer tipo de produto ou serviço, os preços sobem. Se há poucos recursos, há diminuição na demanda e o preço cai.

Nesse contexto, a Selic serve como uma ferramenta do Banco Central para controlar a quantidade de dinheiro em circulação.

Sendo assim, quando a economia brasileira está em alta e os preços sobem, correndo risco de não cumprir a meta inflacionária, a Selic aumenta. Dessa forma, o crédito fica mais caro, desestimulando o consumo e controlando os preços.

Quando a inflação está controlada, ou abaixo da meta estabelecida pelo Banco Central, a taxa Selic diminui, e o crédito fica mais barato, estimulando o consumo.

A seguir, você vai entender como essa taxa pode afetar as suas finanças pessoais.

Como a Selic impacta o crédito?

Como já falamos aqui, a taxa Selic é a taxa básica da economia brasileira. Sendo assim, todas as linhas de crédito, sejam elas empréstimos ou financiamentos, tem ela como referência.

Dessa forma, se a taxa Selic aumenta, as taxas de juros do crédito sobem. Se a Selic diminui, as taxas de juros também irão abaixar.

Como a Selic afeta os preços?

A Selic também afeta os preços, já que há uma relação entre o crédito e o consumo.

Sendo assim, se os empréstimos encarecem, o consumo acaba diminuindo, pois os preços também aumentam junto com a taxa. Quando a Selic cai, o efeito é contrário, já que os preços caem e o consumo aumenta.

Dessa forma, as oscilações da Selic influenciam no aumento ou redução do volume de compras.

A Selic também afeta os investimentos?

Existem muitas aplicações de renda fixa que possuem uma remuneração atrelada a taxas de juros. Dessa forma, o aumento da Selic pode beneficiar quem investe em um fundo desse tipo.

O CDB, Tesouro Direto, Letras de Crédito, debêntures, são ótimos exemplos de investimentos que podem ter rendimentos maiores com o aumento da taxa.

Entretanto, se a Selic diminui, esse tipo de aplicação irá perder rentabilidade.

Como a taxa Selic é definida?

A Selic é definida por um dos órgãos do Banco Central, o Comitê de Política Econômica, o Copom. Esse órgão é composto pelo próprio presidente do Banco Central e por alguns dos diretores do BC.

Para definir a Selic, e estamos falando aqui da Selic Meta, o Copom usa como parâmetro os juros as negociações de títulos públicos. Ou seja, o Copom tem a Selic Efetiva como base para a definição da Selic Meta.

A reunião do Copom para definir a Taxa Selic ocorre a cada 45, que é o mesmo período em que a Taxa Selic definida vigora. Geralmente, cada reunião ocorre durante dois dias.

Após analisar todas os dados discutidos durante as reuniões, o Copom anuncia a valor da Taxa Selic por meio de um comunicado.

.botao-box2 span{ animation: none !important; }