O Financiamento ao Estudante do Ensino Superior, mais conhecido pela sigla FIES, é um programa de financiamento destinado a estudantes.

Ele é responsável por ajudar estudantes de baixa renda a ter condições de arcar com as mensalidades de um curso superior em uma instituição privada.

O FIES foi criado pelo Governo Federal no ano de 1999, e substituiu o Creduc, um outro programa de financiamento estudantil. O Ministério da Educação (MEC) é o órgão responsável pela regulação do programa.

Os estudantes que possuem interesse em aderir ao FIES, podem se cadastrar na plataforma gratuitamente e precisam cumprir alguns pré-requisitos para conseguir o crédito.

A seguir, vamos falar como o programa de financiamento estudantil do Governo Federal funciona, e o que precisa ser feito para solicitá-lo.

Como funciona?

O Fies é um tipo de financiamento, cujo objetivo é ajudar estudantes de baixa renda a ter uma formação de nível superior. Com o Fies, as mensalidades podem ter o custo reduzido ou gratuitas. Entretanto, como em qualquer tipo de financiamento, o estudante deverá arcar com os custos depois de formado.

Para participar do programa, é necessário fazer o cadastro no site oficial do financiamento. O cadastramento ocorre duas vezes por ano, e tem início no começo de cada semestre.

Além de preencher todos os dados solicitados de forma correta, é necessário cumprir algumas condições para conseguir o financiamento. Falaremos melhor sobre os pré-requisito mais adiante.

O pagamento do FIES é dividido em duas etapas. A primeira etapa acontece enquanto o estudante está na graduação. Durante essa etapa, o estudante deverá pagar os custos referentes aos encargos da operação.

Quando o estudante termina a graduação, tem início a segunda etapa do pagamento, em que ele precisará pagar as parcelas referentes ao custo das mensalidades financiadas.

Vale lembrar que não há mais um período de carência desde 2018. Dessa forma, o estudante começa a pagar o Fies assim que a graduação acabar.

Anúncios


No ano de 2018, o Fies passou a ter três modalidades de financiamento distintas. Sendo que a I e a II são chamadas de Fies e a III recebe o nome de Programa do Financiamento Estudantil (P-Fies). Veja como cada uma delas funciona:

  • Modalidade I: A modalidade oferece um financiamento sem nenhuma taxa de juros. São disponibilizadas 100 mil vagas nessa modalidade.
  • Modalidade II: Esta modalidade possui uma taxa de juros a ser definida pela instituição financeira que concede o financiamento. Esta modalidade possui 150 mil vagas, e é exclusiva para estudantes das regiões norte, nordeste e centro-oeste do Brasil.
  • Modalidade III (P-Fies): A modalidade III, assim como a II, tem taxas de juros definidas pela instituição que concede o financiamento. 60 mil vagas são disponibilizadas para essa modalidade.

Quais são as condições para obter o financiamento?

Conforme já falamos aqui, é preciso obedecer alguns critérios para que o crédito seja concedido. A seguir, veja quais são eles.

Primeiramente, somente pessoas que participaram do Enem a partir de 2010 podem se inscrever no Fies. Além disso, é preciso ter tirado uma nota maior que 450 e não ter zerado a redação para se inscrever.

A concessão do Fies também depende da renda familiar de cada estudante, e cada uma das modalidades possui uma restrição específica quanto a isso.

A modalidade I exige que a renda familiar bruta do estudante não seja maior que três salários mínimos. Já a modalidade II e III têm como requisito que a renda familiar seja de até cinco salários mínimos.

Além disso, a modalidade II, conforme falamos anteriormente, é exclusiva para estudantes que moram nas regiões norte, centro-oeste e nordeste.

Após ter feito a inscrição no programa e ter sido aprovado, será necessário entregar todos os documentos solicitados pela Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição onde o estudante está matriculado.

Quando a documentação for validada pela CPSA, os mesmo documentos devem ser entregues à instituição financeira que concedeu o financiamento.

Por fim, o estudante precisa cumprir outros requisitos para continuar no programa, mesmo depois de aprovado. No caso, é preciso ter uma frequência mínima nas aulas, ter notas dentro da média e concluir o custo dentro de um prazo estipulado.

É necessário ter alguma precaução quanto ao Fies?

Concluir o ensino superior é o sonho de muitos brasileiros, e o Fies pode ajudar muitas pessoas a realizar esse sonho.

Contudo, é preciso tomar alguns cuidados, afinal, o Fies não deixa de ser um financiamento, e se não houver nenhum tipo de precaução, ele pode virar uma dívida enorme.

O estudante precisa se planejar antes mesmo de se formar. Principalmente porque não há mais um período de carência para iniciar o pagamento das parcelas.

Portanto, é importante que o estudante busque meios de pagar a dívida, e tente sair da faculdade já empregado, ou comece a poupar parte do seu dinheiro para usar no pagamento do Fies.

Por fim, vale dizer que em caso de desistência, o estudante também deve pagar pelo financiamento. No caso de troca de curso, é possível transferir o financiamento.