Óleo de rícino origem e seus benefícios

A última inovação dos cosméticos é o óleo de rícino, confira dicas de como usar

Atualizado em junho 9, 2021 | Autor: Michelle
Óleo de rícino origem e seus benefícios

O óleo de rícino é extraído da mamona, uma planta que cresce facilmente no Nordeste do país. Nos anos 2000, mais precisamente entre 2006 a 2009, algumas empresas e o governo apostaram muitos investimentos num dos extratos que a mamona fornece para a fabricação de óleo Diesel, mas a baixa produção e outros fatores econômicos acabam fazendo com que o produto não ganhasse o mercado como previsto. Então, a mamona acabou sendo mais bem conduzida para a fabricação de outros produtos como vernizes, tintas, sabão, plástico e, entre muitos outros, o óleo de rícino, que vem sendo usado amplamente na indústria de cosméticos.

 Uso medicinal do óleo de rícino

Quando ingerido, o óleo de mamona é digerido no intestino delgado. Em seguida, o ácido ricinoleico é absorvido pelo intestino, estimulando um forte efeito laxante.

Anúncios


Um estudo mostrou que os anciãos que tomaram o óleo de rícino mostraram uma redução nos sintomas da constipação intestinal, incluindo a necessidade de menos esforço durante a defecação e redução da sensação de evacuação incompleta.

A recomendação é tomar uma colher ou 15 ml para ter uma ação rápida. A evacuação é esperada entre uma e três horas após o consumo do óleo.

Apesar disso, o consumo em altas doses pode causar efeitos colaterais, como cólica abdominal, náusea, vômito e diarreia.

Existe uma crença popular de que o óleo de rícino também seja um anti-inflamatório para doenças como a artrite. Pessoas mais velhas que usam, relatam uma melhora nas dores, mas não existem estudos suficientes que comprovem essa teoria.

 

Tratamento para a pele

O óleo de rícino pode ser encontrado em sua forma pura de extrato, possui uma consistência expeça e bastante pegajosa, por isso, ao usar na pele, pode ser interessante diluir em outros cremes.

Os benefícios para a pele são: hidratação, recuperação celular de cicatrizes, vermicida para tratar algumas infecções da pele e pode ser usado como repelente de insetos.

Por conter ácidos graxos e ser antioxidante, o óleo pode ser usado no rosto para combater linhas de expressão e rejuvenescer a pele.

Tem ação emoliente e adstringente, é ótimo para combater a acne e melhorar o aspecto de antigas cicatrizes deixadas pelas fístulas.

Pode ser usado nos lábios para evitar o ressecamento e hidratar após a exposição ao sol, inclusive pode ser usado em todo o corpo para recuperação do tecido, para evitar que a pele descame.

 

Tratamento para o cabelo

Apesar de ser encontrado facilmente em alguns xampus a venda no mercado, o extrato puro do óleo pode ser aplicado diretamente nos fios para se beneficiar de alguns dos seus componentes:

Combate à queda – os ácidos graxos do óleo fortalecem os folículos dos fios garantindo uma proteção contra a queda e estimula o crescimento.

Hidrata e restaura os fios ressecados e quebradiços – o óleo de rícino possui ômega 6, ômega 9 e vitamina E, que ajuda a selar as cutículas dos fios e retém a umidade pros cabelos.

Combate a caspa e piolhos – o óleo de rícino possui propriedades fúngicas, que remove toxinas do couro cabeludo e impede a coceira provocada pela caspa, sendo tóxico para os pequenos parasitas que morrem ao entrar em contato com o óleo.

 

Cílios e sobrancelhas

Como o óleo de rícino ajuda no crescimento dos fios e protege os folículos contra a queda, ele pode ser usado para restaurar sobrancelhas ou estimular o crescimento dos fios.

Algumas pessoas nascem com pouca quantidade de pelos nas sobrancelhas, outras perdem alguns pelos por conta da depilação que acaba gerando falhas. Para ajudar a restaurar o volume, aplique o óleo de rícino no contorno da sobrancelha com a ajuda de um cotonete antes de dormir. Repita o processo diariamente por algumas semanas.

Já no caso dos cílios, você pode usar de duas formas. Pode aplicar pequenas quantidades com as pontas dos dedos apenas nos fios, tomando cuidado para não exagerar e cair dentro do olho misturando ao rímel, ou somente usando o aplicador limpo do próprio rímel para passar antes de dormir e não impedir a penetração do produto pela maquiagem.