Muitos têm sofrido com a mudança de comportamento dos donos nesse isolamento. Acontece que muitos animaizinhos passaram a ter um convívio familiar com seus donos muito maior, e eles adoram isso, porém algumas pessoas que tiveram que voltar para suas atividades fora de casa quando houve a flexibilização do isolamento, relataram problemas de ansiedade e depressão e, em alguns casos, chegam a apresentar sintomas físicos. Falta de apetite e pelos caindo estão entre as principais queixas.

Com a presença constante de seus donos, os bichinhos passaram a se acostumar com as brincadeiras, as crianças em casa sempre interagindo com eles, e de uma hora para a outra seus tutores passaram a ficar muito tempo fora. Estudos mostram que os animais sentem um cheiro diferente que nós exalamos quando estamos nos preparando para sair e por isso muitos deles já ficam inquietos a nossa volta. Além disso, eles são super inteligentes e observam a movimentação dos donos se vestindo e se preparando para sair.

Entenda que seu bichinho ao ver você sair de casa, não sabe se está sendo deixado por algumas horas ou para sempre, por isso eles tendem a ficar bastante ansiosos e desenvolver problemas clínicos em decorrência desse sofrimento.

 

Passeios cancelados

Outro fator que desencadeou estresse e sofrimento para os pets, principalmente no caso dos cães, foram os passeios com seus donos que deixaram de existir durante o isolamento. Algumas pessoas, principalmente as com a saúde mais sensível ao corona vírus, relatam que se mantiveram em casa com medo da contaminação e, com isso, não podiam mais dar uma volta pelo bairro todos os dias como de costume. Como consequência, alguns bichinhos se demostraram mais estressados e inquietos dentro de casa.

 

Cuidados quando os tutores são infectados com covid-19

Já existem casos confirmados de cães e gatos que se contaminaram com o corona vírus, porém em todos os casos essa contaminação passou de um dos tutores para o animalzinho e não existe nenhuma confirmação de que eles possam transmitir a doença para os seres humanos.

Por isso é muito importante que, ao tutor ser testado positivo, ele mantenha o isolamento de seus pets. Não deve alimentá-los, tocá-los ou brincar com esses animais, para evitar a contaminação. Se por acaso o tutor morar sozinho, ou todos da casa estiverem infectados, o ideal é buscar algum parente, ou hotel veterinário, que possa cuidar do seu bichinho de estimação até que a doença não seja mais transmissível, o que hoje temos conhecimento que são 10 dias após o início dos sintomas.

E nesses casos é preciso ainda cuidar do bem estar dos seus animaizinhos, já que ao mudarem de ambiente, ou perceberem a ausência de seus donos, eles tendem a se sentirem tristes e abatidos.

Procure deixá-los em ambientes acolhedores, que promovam atenção e tenham brinquedos, principalmente no caso dos cachorros que são os que mais gostam de interação com as pessoas.

No caso dos gatos, eles já possuem um relacionamento mais dedicado aos seus tutores, e ainda assim não são de chamar atenção para brincar, por isso caso precise deixá-los sob a supervisão de alguém que eles não possuam muita intimidade, explique que eles precisam de um tempo para adaptação, e se ficarem quietos num canto, é melhor esperar até que se sintam confiantes para interagir.

Anúncios


Outro cuidado nesses casos é a alimentação, pois muitos costumam perder o apetite como uma forma de demonstrar tristeza pela falta de seus donos. Não hesite em fazer uma vídeo chamada para que o bichinho possa lhe ver e ouvir sua voz, isso pode ajudar a diminuir a ansiedade deles e até conseguir que voltem a comer alguma coisa. Podem ser tentados petiscos em brinquedos, promovendo a curiosidade e interação, assim eles vão poder até se desestressar.