Nesta segunda-feira, 16 de novembro, ocorreu o lançamento oficial do Pix, o novo sistema de pagamentos e transferências bancárias digitas do Banco Central.

O Pix promete inovar o sistema brasileiro de pagamentos, já que será possível realizar pagamentos e transferências a qualquer hora e em qual dia da semana, mesmo em domingos e feriados.

Mas como esse sistema irá funcionar? É preciso pagar alguma quantia para usá-lo? Dá pra confiar no Pix?

Para responder a essas e outras perguntas sobre o Pix, o Alto Tietê Web criou este guia completo com tudo o que você precisa saber sobre o Pix. Explicaremos todos os detalhes do novo sistema, para que você possa aproveitar a novidade com tranquilidade e segurança!

Quem é esse tal de Pix? Como ele vai funcionar?

Assim como o TED, DOC e os cartões de crédito e débito, o Pix é também um meio de pagamentos e transferências. O Pix é uma tecnologia criada pelo Banco Central, e tem o propósito de ser uma alternativa mais rápida, e barata para as transações financeiras, além de diminuir o uso de dinheiro em espécie no país.

Dessa forma, você poderá utilizar o sistema para pagar contas, compras e fazer transferências bancárias para quem tem uma conta no mesmo banco que você, ou para outros bancos.

Entretanto, há grandes diferenças entre o Pix e os demais sistemas de pagamento. Em primeiro lugar, as operações feitas por meio do Pix são instantâneas, ou seja, basta confirmar a transação e pronto! A transação ou o pagamento está feito e o recebedor já recebe o dinheiro em sua conta.

Em segundo lugar, o sistema está disponível sempre que você precisar, já que o Pix funciona 24 horas por dia, nos 7 dias da semana. Sendo assim, se você precisar receber uma transferência em um feriado, não será necessário esperar até o dia seguinte para o dinheiro cair em sua conta.

Por último, o Pix será totalmente gratuito para as pessoas físicas, o que já é uma grande vantagem em relação ao TED e ao DOC. Pessoas jurídicas, no entanto, serão cobradas pelas operações, mas o valor será menor que o cobrado por operações com cartões de crédito e débito.

Todo mundo pode cadastrar no Pix?

Sim, todo mundo que tem uma conta em um banco ou instituição financeira pode se cadastrar no Pix. Além disso, não há a necessidade de ter uma conta corrente, bastar ter uma conta poupança ou uma carteira eletrônica em uma instituição financeira para fazer o cadastro.

O cadastro é feito no próprio aplicativo ou site oficial da instituição financeira. Ao entrar em sua conta, você pode criar a sua chave Pix e começar a fazer transações pelo Pix.

Anúncios

Tá, mas o que é uma chave Pix?

A chave Pix é um tipo de chave de endereçamento. Ela serve para identificar a conta de um usuário no Pix e é usada para realizar uma operação.

Sendo assim, a chave Pix é um tipo de código, que armazena os dados bancários Ou seja, ela é um tipo de código, que armazena informações bancárias para serem usadas durante as transações.

Dessa forma, não é necessário passar nenhum dado bancário ao fazer uma transação. Basta informar a chave Pix e pronto.

Os seguintes dados podem ser utilizados como uma chave Pix:

  • O número de CPF ou CNPJ;
  • O número do celular;
  • Um endereço de e-mail;
  • Um código gerado aleatoriamente, formado por números e letras.

As chaves Pix não podem se repetir, ou seja, o usuário não pode vincular o seu e-mail (ou qualquer outro dado) a mais de uma chave Pix.

Além disso, o número de chaves é limitado por conta: pessoas físicas podem ter até 5 chaves por conta, enquanto que pessoas jurídicas podem ter até 20 chaves por conta.

Dessa forma, se o usuário possuir uma conta em outra instituição, ele poderá criar mais 5 ou 20 chaves diferentes nessa outra instituição.

Por fim, vale ressaltar que o cadastramento das chaves Pix não é obrigatório. Dessa forma, nenhuma instituição financeira poderá obrigar um cliente a cadastrar uma chave.

Como faço um pagamento por meio do Pix?

Existem três maneiras de efetuar uma operação através do Pix. A primeira dela consiste em informar a sua chave Pix, a segunda maneira é por meio de um link gerado no aplicativo do banco ou instituição financeira, e a terceira é por meio de um QR Codes.

Os QR Codes são um tipo de código que podem armazenar diversos tipos de informação. Eles podem ser lidos através da câmera de um celular, e serão incrivelmente úteis aos comerciantes que aderirem ao Pix.

O Pix permitirá dois tipos de QR Code, os dinâmicos e o estáticos. O Alto Tietê Web vai explicar a função de cada um deles a seguir:

  • QR Code Dinâmico:

Esse tipo de QR Code pode ter um valor diferente a cada vez que for utilizado. Dessa forma, é necessário gerar um novo QR Code quando for preciso fazer outro tipo de cobrança. Esse tipo de código é ideal para ser usado em compras online e em e-commerces.

  • QR Code Estático:

O QR Code estático possui um valor único, que pode ser definido uma única vez por quem o gera. Dessa forma, ele pode ser usado para cobrar um mesmo valor sempre, sendo uma alternativa para definir o preço de um produto, por exemplo

O Pix é confiável?

De acordo com o Banco Central, o Pix conta com um sistema de criptografia que garantirá a segurança de seus usuários. Esse tipo de sistema codifica todas as informações relacionadas às operações feitas no Pix, impedindo que criminosos roubem dados dos usuários.

Entretanto, o Banco Central alerta que é importante ter cuidado redobrado para evitar fraudes.

Portanto, quando você for fazer alguma operação por meio do Pix, ou for cadastrar a chave, certifique-se que o site acessado é realmente o do seu banco.

Lembre-se que as transações por meio do Pix só podem ser feitas através dos canais oficiais dos bancos.