O ano de 2020 terminou há poucos dias sem deixar saudades e boas lembranças para muita gente. Pandemia, recessão, perdas, dívidas…

Apesar dos desejos de réveillon, a virada do ano não mudou o cenário ainda bastante difícil para 2021, como que num passe de mágica.

Mas, no que depender de cada um para acertar as próprias finanças, há de se esperar por dias melhores.

Se você se despediu de 2020 no vermelho e pretende ficar no azul o quanto antes em 2021, já deu o primeiro passo ao se interessar por este post.

Listamos abaixo dez dicas para você reorganizar suas contas, adquirir novas rotinas financeiras e, ao fim, até ficar no lucro.

Conte com a gente!

1 – Qual é sua realidade financeira?

Antes de mais nada, é preciso saber qual a ‘cor’ atual de sua realidade financeira. Ainda é vermelha? Está mudando para azul?

O momento é oportuno para uma auditoria completa nas próprias contas. Uma análise apurada para checar por onde chega e vaza seu dinheiro.

2 – Como organizar meu orçamento?

Com o resultado de sua primeira análise geral em mãos, é hora de ‘separar o joio do trigo’ de seu orçamento pessoal.

A receita atual dá conta das dívidas que tem? Se sim, corte as dispensáveis. Se não, ou busque outra fonte, ou renegocie as pendências com os credores.

3 – Como equilibrar minhas contas?

Não é preciso ser nenhum gênio em Matemática para perceber o óbvio no equilíbrio do orçamento doméstico ou de um país.

Anúncios

A regra de ouro: gaste menos do que ganha. Não dá? Volte à dica anterior ou continue em frente, devendo mais do que pode pagar.

4 – Dá para juntar dinheiro?

Sim. À medida que você equilibra suas contas, pode começar a se dar ao luxo de fazer uma pequena reserva de recursos, para necessidades eventuais.

Mas de nada adianta economizar os centavos na compra do supermercado e enfiar o pé na jaca no churrasco de fim de semana. Festeje com dinheiro no bolso.

5 – E aqueles crediários que eu tenho nas Casas Bahia?

Continue a pagá-los, regularmente. Até porque se deixar, será mais uma dívida a corroer o seu suado dinheirinho.

Na próxima compra, considere a oportunidade de pagar à vista. Não dá? Economize. Precisa mesmo? Conviva com os juros. Eles vão te acompanhar.

6 – Ah, meu cartão de crédito me ajuda…

Sim, não tenha dúvida. Dependendo do cartão, você pode somar milhas para viagem, ter dinheiro de volta (cashback), além de outros benefícios.

Lembre-se que é “de crédito”. Você vai ter que pagá-lo depois. E se não depositar nem o mínimo da fatura, já sabe: o sonhado ‘ano azul’ enrubece rapidinho.

7 – Continue a poupar ao longo do ano

Às vezes, por alguma necessidade de última hora, ficou mais difícil de fechar a conta de um mês ou outro. Acontece.

O mais importante é que você se esforce em fechá-lo no azul, inclusive com alguma sobra. Com o tempo, esta rotina vai fazer muita diferença no seu orçamento.

8 – Recorra à tecnologia para gerir seu orçamento

Se você ainda não tem hábito de registrar a entrada e saída de seus rendimentos e gastos em um caderninho, comece.

Se preferir, pode recorrer à tecnologia para a gestão do seu orçamento. Clique aqui e confira cinco aplicativos feitos sob medida para esta sua necessidade.

9 – Planeje e execute seus planos

Ao longo do tempo, com as contas mais controladas e previsíveis, você consegue um fôlego financeiro para cumprir aquelas metas lá de dezembro de 2020.

Mas, não se esqueça: o gasto precisa estar dentro do alcance sua renda. De nada adianta tanto esforço para planejar ficar endividado de novo.

10 – Considere aplicar seus recursos

Quem levar a sério as outras nove dicas deste post corre o sério risco de chegar à décima e última com dinheiro de sobra para investimentos.

Clique aqui e confira quatro tipos de aplicações que poderão te render, no mínimo, mais do que a poupança. Bom começo para terminar 2021, enfim, no azul.