A gestão de compras de equipamentos para uma empresa reúne alegrias e tristezas.

A alegria é porque a empresa está entrando em novo patamar, ampliando e com possibilidade de melhores serviços prestados e maior faturamento.

A tristeza é porque comprar máquinas ou equipamentos é sinônimo de dor de cabeça.

Ao contrário do que muitos pensam, não é só escolher ou passar o cartão. Não é uma tarefa simples e nem rápida.

Ela exige diversos cuidados, a fim de garantir a aquisição de um bom produto e, ao mesmo tempo, evitar que a empresa saia no prejuízo.

Nestas horas, é melhor ter o dinheiro na mão, é melhor recorrer a um empréstimo ou o melhor é usar o cartão de crédito?

Se esta é a sua dúvida, fica com a gente que este post vai esclarecer algumas dúvidas para você e te ajudar neste importante passo para sua empresa e sua carreira.

 

Veja as perguntas que você precisa responder antes de optar pela compra

O preço dos equipamentos, máquinas e suprimentos deixou de ser o único fator a ser levado em consideração na hora da compra.

Algumas perguntas precisam ser feitas: no longo prazo esta compra vai suprir as necessidades do negócio? Em quanto tempo esta compra vai se pagar?

É melhor comprar à vista e não pagar juros, mesmo que para isso fique sem capital de giro? Ou é melhor recorrer a um empréstimo para manter o capital de giro e o dinheiro em caixa?

Anúncios


Neste post, você vai entender por que é importante fazer a gestão de compras antes da compra em si, dos equipamentos.

Mas, afinal, o que é preciso analisar antes da compra de equipamentos?

Além do preço dos equipamentos, é fundamental analisar outras coisas mais.

A primeira análise que tem que ser feita é a da real necessidade de um novo equipamento para a sua empresa.

Sim, você precisa, então, agora é preciso analisar a questão financeira.

 

Quanto contratar um empréstimo ou usar capital próprio para a compra

O uso de empréstimo para a compra de máquinas e equipamentos pode ser um instrumento valioso.

Feita essa análise, é hora de você tomar a decisão: como vai pagar esta compra. Ou, então: como financiar essa compra.

Existem maneiras diferentes de financiar: através de recursos próprios ou de recursos de terceiros, seja com cartão de crédito ou empréstimo.

Para isso, analise o custo de capital, que é a taxa de retorno que você, como empreendedor, espera receber ao realizar um investimento.

Por exemplo, o seu retorno mínimo será de 10% no investimento.

Então, se o investimento atingir os 10% esperado do faturamento, é uma boa opção.

No caso do capital de terceiros, o custo de capital é a taxa de juros cobrada.

 

Entenda a importância de ser um crédito consciente

Outro exemplo, para ficar melhor o entendimento. Na compra de um novo equipamento no valor de R$ 25.000 e com taxas que chegam a 20% ao ano.

Então, pergunte-se: você enxerga a possibilidade de conseguir este empréstimo e a geração de resultado na empresa, com esta compra, vai te dar os 20% em quanto tempo?

Analise também, na hora de obter o empréstimo, para que ele seja um crédito consciente.

Isso não vai comprometer suas noites de sono e nem o futuro financeiro da sua empresa.

De que forma isso?

Você financia a compra, paga juros, mas com a produção deste mesmo equipamento, você gera receita com a qual pagará a parcela, onde está inserido o juro e o valor do bem adquirido.

 

Cartão de crédito do BNDES é ideal para comprar equipamentos

 

Se a opção foi manter o capital de giro, ou mesmo se você não tem grana porque o equipamento é de um valor mais alto, a opção é o empréstimo ou o cartão de crédito que lhe dá este crédito.

Para isso, o BNDES lançou um cartão de crédito que é especializado para empreendedores comprarem equipamentos e investirem no seu negócio.

O banco libera até R$ 21.000 de forma imediata, com taxas de juros de até 4% ao mês, com o qual você pode fazer as aquisições que precisa, gerar receita e seguir em frente.

Os valores podem ser usados para aumentar a empresa, adquirir novos equipamentos, comprar matéria prima e até gerar capital de giro.

O mais legal é que este cartão de crédito financiado pelo BNDES é emitido por bancos tradicionais do país.

Por este motivo, você pode aproveitar o bom relacionamento que você possa ter com bancos como BB, Itaú, Caixa, Bradesco e outros, para conseguir taxas menores.

Para buscar mais informações, você pode contatar seu banco, para ver se ele tem a parceria com o BNDES ou diretamente no site do Banco Nacional de Desenvolvimento do Brasil.