Quanto antes enviar a declaração do Imposto de Renda, antes deverá ser restituído o valor que você tem a receber.

Mas tem gente que deixa para a última hora o envio da declaração, porém, tem pressa para receber.

É uma conta que não fecha: deixa para entregar a declaração no último dia, mas quer receber a grana no primeiro lote.

E quando o dinheiro faz falta, qualquer oferta é tentadora.

Nesta época, há muita publicidade de bancos propondo a antecipação da restituição do Imposto de Renda.

Mas será que é vantajoso? Vale a pena antecipar a restituição no banco?

Esta é a pergunta que vamos te responder neste post.

 

Como é feita a restituição do Imposto de Renda

A restituição do Imposto de Renda é paga considerando um calendário de datas.

Este calendário da Receita Federal leva em conta a data que você fez a entrega da declaração.

Anúncios


O primeiro lote da restituição está previsto para 31 de maio. Os demais serão em 30 de junho, 30 de julho, 31 de agosto e 30 de setembro.

Então, se você deixou para fazer a declaração em abril, para a última hora, certamente sua restituição será feita nos lotes finais, entre agosto e setembro.

 

Como é feita a antecipação da restituição do IR

Ao fazer sua declaração do IR você escolhe um banco para a restituição.

E este banco, com certeza, vai querer antecipar a restituição para você. Na forma de empréstimo.

Ele antecipa o valor que você tem a receber de volta, ou parte dele.

Mas quando a Receita Federal depositar a sua restituição, o dinheiro já fica com o banco.

Além do valor devido (já antecipado), você paga ainda os juros que o banco cobrará por esse período de antecipação.

É nesta taxa de juros que você deve prestar atenção para verificar se as condições são plausíveis ou não.

Em geral, a taxa de juros cobrada pelos bancos gira em torno de 2% ao mês.

Há bancos que cobram menos, em torno de 1,50% ao mês, mas a taxa pode variar dependendo do banco ou do valor que for contratado para antecipar.

 

Porque a antecipação é como um empréstimo?

Antes de tudo, é importante você entender que a antecipação é um empréstimo.

Seu banco escolhido na declaração certamente vai oferecer a antecipação da restituição.

As taxas cobradas costumam ser menores do que um empréstimo comum.

Isso porque o banco tem garantia que vai receber em dia o valor do empréstimo – o valor que você antecipou.

E a garantia é porque a fonte pagadora segura: a Receita Federal.

Mas cuidado, pois aquele valor que constou a restituir na sua declaração pode não chegar até você, caso você cair na malha fina.

Muito cuidado com este “detalhe” e também com as taxas, pois às vezes, você pode cair em uma armadilha, por não prestar atenção no que acontece em caso de não pagar em dia.

 

Como saber se vale a pena antecipar a restituição?

Fazer uma nova dívida para pagar uma antiga nem sempre é um bom negócio.

Se para pagar uma dívida você precisa fazer uma nova dívida, você precisa ver se vai ter condições de pagar.

Do contrário, será uma bola de neve que só vai aumentar.

Se você tem muita conta para pagar, talvez não seja o melhor caminho antecipar o Imposto de Renda.

Mas, a depender das taxas de juros, antecipar o IR pode ser um bom negócio.

O que você precisa levar em conta é a taxa de juros cobrada.

Faça a comparação entre a dívida antiga e a nova dívida, este novo empréstimo que é a antecipação do IR.

Se a sua dívida é com cartão de crédito ou cheque especial, nem precisa fazer cálculo algum. Sim, neste caso, será mais vantajoso antecipar o IR, pois a taxa de juro é menor.

E isso pode ser seu aliado.

Então, antes de antecipar, compare as taxas de juros da sua dívida atual com as taxas de juros do banco.

 

Quem está com o nome sujo pode antecipar o IR?

Sim, você pode antecipar Imposto de Renda mesmo se estiver no SPC e Serasa.

O nome sujo não será problema. Mas preste bem atenção!

Como já citado neste texto, o banco sabe o valor que o governo vai te devolver, então, ele topa fazer a antecipação.

E aí pode estar a armadilha, pois se o contribuinte estiver no SPC, seu score influenciará na decisão do banco, que pode não te apresentar boas taxas.

Por outro lado, a antecipação pode te ajudar a sair do SPC, caso aquela taxa de juros da conta não paga seja maior do que a atual dívida pela antecipação.

Tudo é questão de colocar na ponta do lápis.

E mais uma coisa: se na hora de entregar a declaração você cuida para não cair na malha fina, agora na hora de antecipar a restituição você precisa cuidar para não cair em armadilha.