Há dois meses, desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou como pandemia o novo coronavírus, o mundo praticamente parou, perplexo com o futuro de todos e sem saber, bem, como e quando tudo voltaria ao normal ou, como dito por muitos, ao “novo normal”.

O esporte, por todo o planeta, também sofreu as consequências. Competições foram suspensas, outras encerradas, tudo para pensar, em primeiro lugar, na saúde de cada um.

Com o avançar do tempo e o controle da pandemia, em alguns países, já se começa a discutir quando as principais competições poderão voltar, tomando como base outras que já retomaram suas atividades e outras que retomarão em breve.

UFC

No último sábado (9), houve o primeiro evento, com transmissão ao vivo para todo o mundo, de uma grande competição esportiva a ser retomado. Mais do que ocorreu dentro do octógono, todos observaram, com atenção, como seria o comportamento dos envolvidos, na primeira grande retomada pós-pandemia. O evento foi de portões fechados, algo comum, daqui para frente. O card realizado em Jacksonville, nos Estados Unidos, serviu como um teste para ligas como a NBA, NFL e Liga dos Campeões formularem seus próprios planos de retorno à ação.

“Eu sabia que seríamos os primeiros a voltar. Nós tentamos achar jeitos de não parar. Mas o mundo não parou de mudar todos os dias. (…) Nós fizemos no Brasil antes de chegar a este nível, e todo mundo passou por aquele fim de semana seguro. Nós sabíamos que podíamos acertar isso”, disse o presidente do UFC, Dana White, na sexta (8), numa pequena coletiva com os poucos membros da imprensa credenciados em Jacksonville. White se referia a um evento realizado em Brasília, em 14 de março, três dias depois da doença ter sido declarada como pandemia.

Futebol internacional

O primeiro grande campeonato de futebol do mundo que será retomado é o alemão, a famosa Bundesliga, que será reiniciada no sábado (16), com seis partidas da 26ª rodada. Entre elas, o destaque é o clássico entre Borussia Dortmund e Schalke 04, no Signal Iduna Park, em Dortmund.

O duelo da região do Ruhr terá início às 15h30 no horário local (10h30 no de Brasília), assim como outros quatro jogos: RB Leipzig x Freiburg, Hoffenheim x Hertha Berlin, Fortuna Düsseldorf x Paderborn e Augsburg x Wolfsburg. Mais tarde, o Eintracht Frankfurt receberá o Borussia Mönchengladbach. No dia seguinte, o líder Bayern de Munique jogará fora de casa contra o Union Berlin e o Colônia será mandante contra o Mainz. A rodada terminará na segunda (18), com Werder Bremen x Bayer Leverkusen.

De acordo com o governo alemão, todos os jogos ocorrerão com portões fechados. Foi exigido que, para que o campeonato seja retomado, os atletas fiquem em isolamento total por pelo menos uma semana. Desta forma, a Alemanha será a primeira grande liga do futebol europeu a ser reiniciada depois da longa paralisação por conta da pandemia da covid-19.

Enquanto a Bundesliga se tornará o primeiro grande campeonato europeu a reiniciar a temporada 2019-2020, as ligas da Inglaterra, Espanha e Itália esperam seguir o mesmo caminho nas próximas semanas, apesar dos obstáculos, entre temores dos jogadores e precauções dos governos.

Na Inglaterra, o governo autorizou a volta das competições esportivas com portões fechados a partir de junho, mas somente se a pandemia do coronavírus estiver controlada. No entanto, o projeto ‘Restart’ da Premier League, que permitiria concluir as 92 partidas que restam na temporada entre junho e julho, segue encontrando obstáculos, como visto na última assembleia geral dos clubes.

A maioria das equipes não quer voltar a jogar em um número reduzido de estádios neutros, ideia da Premier League para limitar os deslocamentos e aproveitar as estruturas mais adaptadas para respeitar o distanciamento social. “Evidentemente, todos os clubes prefeririam jogar em casa se fosse possível, mas devemos levar em consideração o que dizem as autoridades”, explicou o diretor-geral da Premier League, Richard Masters.

Os dirigentes deverão conseguir convencer os jogadores e técnicos, num momento em que muitos deles expressam temor diante da possibilidade de se colocar em prática uma quarentena antes da retomada dos jogos. Um sinal de que a incerteza segue forte: os 20 clubes cogitaram pela primeira vez na segunda-feira (11) a possibilidade de suspender definitivamente a competição.

Na Espanha, onde as equipes retornaram aos treinos individualizados há uma semana, ainda não há data oficial para o reinício do futebol. Javier Tebas, presidente da LaLiga e que sempre descartou a opção de suspender definitivamente a temporada 2019-2020, afirmou no domingo (10) à emissora Movistar que gostaria que o futebol voltasse em 12 de junho. A decisão final, porém, depende das medidas estabelecidas pelo governo espanhol.

De acordo com o protocolo de volta previsto pela LaLiga, a competição será retomada com portões fechados, uma medida vista com unanimidade no país.

Praticamente todos os protagonistas do futebol espanhol apoiam a volta. Mas há exceções, como os jogadores do Eibar, que na semana passada expressaram “medo”, enquanto as autoridades temem que uma segunda onda de contaminação coincida com o relaxamento das medidas de confinamento.

Já na Itália, “o caminho está livre… até a metade”, resumiu nesta terça (12) o diário esportivo Le Corriere dello Sport. A opinião apresentada na segunda (11) pelo comitê técnico científico, que aconselha o governo italiano durante o relaxamento das medidas de confinamento no país, abriu uma brecha para que as equipes voltem a treinar coletivamente a partir de 18 de maio. Esse caminho “muito estreito”, como definiu há 15 dias o ministro dos Esportes da Itália, Vincenzo Spadafora, ainda não se tornou uma avenida para permitir a volta do Campeonato Italiano. Apesar dos obstáculos, a liga e a federação apostam que a bola voltará a rolar em meados de junho.

A decisão poderá ser tomada ao mais alto nível pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte, que se reunirá nos próximos dias com os dirigentes do futebol italiano.

Para que tudo funcione, a fase de treinos coletivos deve se desenvolver sem incidentes. Os clubes sabem que um exame de detecção de coronavírus positivo de um jogador significará o confinamento de toda a equipe por 15 dias.

Assim, a partir de 18 de maio, as equipes terão que viver numa bolha, com os jogadores sendo regularmente testados e monitorados.

Por sua vez, o futebol português voltará a campo no dia 4 de junho. Em comunicado oficial, a Liga Portuguesa de Futebol anunciou, nesta semana, a data de retorno após vistorias nos estádios e realização de testes médicos em todos os profissionais envolvidos nas partidas. A competição está parada desde o último dia 13 de março.

Em relação à Liga dos Campeões da Europa, a Uefa ainda não definiu uma data para o retoro da competição, nem como isso será feito. A Liga dos Campeões foi interrompida no meio da fase oitavas de final, na qual a Atalanta se reforçou como sensação, o atual campeão Liverpool se despediu e o vitorioso Real Madrid se viu nas cordas. Dos oito confrontos, quatro se resolveram antes da paralisação por conta do avanço da Covid-19.

Em meio ao avanço da pandemia na Europa, o Liverpool acabou eliminado pelo Atlético de Madri em um Anfield lotado. Por outro lado, o PSG virou o confronto diante do Borussia Dortmund em um Parque dos Príncipes completamente vazio, sem torcida, como medida sanitária de prevenção.
Além da Atalanta, Atlético de Madri, Paris Saint-Germain e RB Leipzig avançaram para o grupo dos oito melhores. Por outro lado, Real, Manchester City, Lyon, Juventus, Barcelona, Napoli, Bayern de Munique e Chelsea passaram os últimos dois meses sob a expectativa de definirem mais quatro classificados para as quartas.

Futebol brasileiro

Ainda não há qualquer previsão oficial de quando o futebol brasileiro retornará. Por enquanto, fala-se em meados de junho, em uma previsão das mais otimistas. Mesmo sem nenhum sinal de que o futebol tenha condições de voltar no Brasil, alguns times já começaram a promover o retorno de seus jogadores aos centros de treinamento.

No começo deste mês, atletas de Internacional e Grêmio se reapresentaram para realizar testes de Covid-19 e exames físicos e retomaram os treinos individuais no CT. Lembrando que o Campeonato Gaúcho foi paralisado no dia 15 de março, restando três rodadas para o término do segundo turno. Assim como no Rio Grande do Sul, todos os outros campeonatos estaduais seguem suspensos e sem qualquer previsão de retorno.

Em Minas Gerais, Atlético e Cruzeiro já tem a liberação da Prefeitura para voltar a treinar, tomando as medidas de precaução necessárias e recomendadas pelas autoridades sanitárias. O Galo adiou seu retorno, que estava marcado para a próxima segunda (18), visto que os resultados de alguns exames deram inconclusivos. Já a Raposa inicia hoje os testes em funcionários e, na próxima semana, os jogadores também serão testados. Assim como no RS, não há qualquer previsão de volta do Campeonato Mineiro.

No Rio, a Prefeitura e o Governo do Estado não liberaram os quatro grandes para treinarem em seus CTs e as atividades seguem suspensas, presencialmente. Os atletas continuam treinando, de forma individual, em suas casas.

Em São Paulo, os clubes decidiram, após reunião conjunta, que irão voltar aos treinos quando as autoridades de saúde municipal e estadual liberarem. “O futebol paulista, unido e consciente de seu papel perante à sociedade, afirma que apenas voltará às atividades quando as autoridades de saúde estadual e municipais permitirem, preservando a integridade de todos os envolvidos na organização das partidas”, afirma trecho de comunicado oficial divulgado após a reunião.

Quanto à Copa libertadores da América, o sertame deve ser retoamdo apenas no segundo semestre e pode terminar apenas ano que vem, segundo secretário-geral adjunto da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), Gonzalo Belloso. Ele falou, esta semana, que a atual edição da Copa Libertadores deve ser retomada no segundo semestre e pode terminar apenas em janeiro de 2021. “Acreditamos que o futebol deve ser retomado quando cumprirmos todos os requisitos de saúde. É uma indústria como qualquer outra, além de um esporte, e gera milhões de empregos”, disse Belloso em entrevista à Radio2, da Argentina.

Vôlei

Após encerrar a competição feminina, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) decidiu, após votação virtual com os clubes participantes, dar fim também à Superliga Masculina de Vôlei. Não houve um campeão definido para esta temporada. “O cenário no esporte brasileiro é preocupante neste momento de pandemia. Temos que continuar trabalhando juntos no sentido de continuidade da nossa modalidade. O melhor a ser feito agora é encerrar todas as atividades e cuidar da saúde dos nossos atletas e de todos os envolvidos na competição”, disse o Superintendente de competições de quadra da CBV, Renato D’Avila.

Basquete

Uma equipe multidisciplinar destacada pela Liga Nacional de Basquete apresentou relatório médico que servirá de base para o retorno da atual temporada do Novo Basquete Brasil, (NBB). O campeonato está paralisado desde o dia 13 de março, devido à pandemia de coronavírus, e vai voltar direto pelos playoffs. O restante da primeira fase já havia sido cancelada anteriormente.

De acordo com os representantes da Liga, o documento seguiu procedimentos médicos necessários e recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
O relatório foi dividido em três fases: avaliações físicas dos atletas na volta aos treinos, todo o período de treinamento, e o recomeço do NBB. Esse processo está previsto para durar cerca de 40 dias. Dentro desse procedimento médico, está prevista a testagem de todos os profissionais envolvidos com a competição em diversas etapas.

Já em relação à NBA (Liga de Basquete Norte-Americano), Uma reunião do comissário da liga, Adam Silver, com representantes dos atletas, serviu para a liga apresentar alguns planos de retorno às quadras, que permanece sem previsão.

Segundo o executivo, os jogos seriam com portões fechados e com um número reduzido de sedes, evitando que os times tenham que viajar a todo instante. “Não há sentido em adicionar risco de viajar se não haverá público. Achamos que é melhor fazer em um ou dois locais os jogos”, disse Silver, que ainda revelou que alguns locais especulados pela NBA para receber toda a fase decisiva da temporada 2019/2020 são Orlando (Flórida) e Las Vegas (Nevada).

NFL

A NFL (Liga de Futebol Americano) divulgou, recentemente, que o jogo de abertura da temporada 2020-2021 será entre o atual campeão Kansas City Chiefs e o Houston Texas, marcado para o dia 20 de setembro. A liga não divulgou, porém, informações sobre medidas preventivas no combate ao coronavírus ou se os jogos terão torcida. Porém, com a divulgação do calendário de jogos, alguns times iniciaram a venda de ingressos normalmente.

Fórmula 1

Extraoficialmente, a temporada da Fórmula 1 seria aberta na Áustria, em 5 de julho. Uma segunda corrida seria agendada para o dia 12, no outro domingo, segundo informações do consultor da Red Bull, Helmut Marko.

Palco da primeira corrida da história da Fórmula 1, o circuito de Silverstone ainda era visto como dúvida para essa temporada da categoria. A direção do local estava em discussão com a Liberty Media sobre os termos comerciais com relação às provas desse ano, mas ambos os lados chegaram a um acordo.

A F1 contava com Silverstone para realizar duas provas na retomada da temporada 2020, no final de julho. Mas havia um debate sobre a taxa de realização da prova que normalmente é paga pelos promotores dos eventos, com os lados divergindo sobre o que seria um acordo ideal. Faltam apenas fechar os detalhes finais, para o acordo ser divulgado.

Silverstone deve receber duas provas da temporada de 2020, em 26 de julho e 02 de agosto, deixando o dia 19 de julho, data original do GP da Grã-Bretanha, como uma semana de folga entre as provas da Áustria e de Silverstone. Essa informação ainda não foi confirmada, oficialmente, pela categoria.

Todas as corridas seriam realizadas com os portões fechados.