O que aconteceu com 123 Milhas

Saiba o que aconteceu com a 123 milhas e veja o que você pode fazer

Atualizado em setembro 4, 2023 | Autor: Michelle Verginassi
O que aconteceu com 123 Milhas

Se você é um dos clientes que se sente lesado, então, veja o que aconteceu com a 123 Milhas.
A 123 Milhas, uma empresa de milhas aéreas, anunciou que entrou com pedido de recuperação judicial.
A empresa alega que enfrenta dificuldades financeiras e as dívidas estimadas chegam a R$ 2,3 bilhões.

As dificuldades alegadas são devido ao aumento da concorrência e à crise econômica após a pandemia.
Então, a situação ainda pode pior, então, já se prepare e saiba o que fazer em caso de recuperação judicial.

Veja o que aconteceu com 123 Milhas

Mas, afinal, o que aconteceu?
A 123 Milhas foi fundada em 2013 e se tornou uma das principais empresas de milhas aéreas do Brasil.
Ela oferece diversos produtos e serviços relacionados a milhas aéreas, como compra, venda e resgate de milhas.
Mas, nos últimos anos, a 123 Milhas enfrentou uma série de desafios.
A empresa viu sua participação de mercado cair diante da concorrência de empresas do setor.
Além disso, a crise econômica também impactou as finanças da empresa, que viu seus clientes viajarem menos.

Saiba o que aconteceu em relação aos problemas com os vouchers

Tudo começou em 18 de agosto, quando a empresa anunciou a suspensão dos serviços.
Logo após esta medida, a 123 Milhas prometeu vouchers para minimizar os impactos aos clientes, contudo, muitos clientes não têm conseguido usar essa opção.
No site da empresa, apenas um comunicado explica que entrou com pedido de recuperação judicial e que, por isso, está impedida de realizar pagamentos.
A Secretaria Nacional do Consumidor declarou que a suspensão dos vouchers significa quebra de contrato, isso  antes mesmo de o pedido de recuperação judicial ter sido aprovado.

Saiba o que fazer se você comprou passagens pela 123 Milhas

Se você é cliente da 123 Milhas, é importante ficar atento se sair a recuperação judicial.
Além disso, a empresa vai precisar informar seus clientes sobre como a recuperação judicial afetará seus produtos e serviços.
Então, antes de qualquer coisa, se você é um dos clientes, veja o que você pode fazer a respeito do assunto.
O primeiro passo é: confira seu saldo de milhas e certifique-se de que você tem acesso às suas milhas e que elas estão seguras.
Além disso, acompanhe as informações da recuperação judicial.
Então, no pedido de recuperação judicial, encaminhado à 1ª Vara Empresarial de Belo Horizonte, a 123 Milhas afirmou estar “enfrentando a pior crise financeira desde suas respectivas fundações”.
Desta forma, a empresa solicitou 180 dias de suspensão imediata de todas as execuções direcionadas contra o patrimônio dela e das empresas do grupo.
Além disso, no mesmo pedido, a 123 Milhas pediu a imediata suspensão das medidas extrajudiciais adotadas pelos órgãos de defesa do consumidor, onde as dívidas devem chegar a R$ 2,3 bilhões.

Veja o que pode acontecer em caso de recuperação judicial

Mas, em caso de recuperação judicial, como fica?
A recuperação judicial é uma medida legal que permite que todas as empresas em dificuldades financeiras reestruturam suas dívidas e evitem a falência.
Mas, a recuperação judicial não é um processo automático, pois a empresa precisa apresentar um plano de recuperação judicial para a aprovação do juiz.
Desta forma, o plano deve ser aprovado pela maioria dos credores da empresa, o que pode implicar um processo longo e complexo.
Sendo assim, se você é um dos clientes da 123 Milhas, fique atento às informações sobre o processo e se prepare para possíveis impactos.
Mas, a recuperação judicial traz muitos impactos e nem todos são positivos.
Então, no caso da 123 Milhas, a recuperação judicial pode ter os seguintes impactos:
-Pode haver atrasos nos resgates de milhas.
– A empresa pode precisar atrasar os resgates de milhas, pois precisará usar seu caixa para pagar suas dívidas.
-Pode haver perda de milhas, se a empresa não for capaz de honrar seus compromissos.

.botao-box2 span{ animation: none !important; }